Cachoeira do Macaquinho – Chapada dos Veadeiros

Domingo, 24 de Julho – Cachoeira do Macaquinho

 

Programa para um dia inteiro!

Hora de desmontar e guardar toda a nossa parafernalha. Olha, é um enorme privilégio morar relativamente perto desse cantinho, mas ainda assim, é muito difícil “dizer tchau”, nossas visitas acabam sendo muito curtas. Mas calma, o destino há de nos reservar uns 10 dias para ficarmos ali (Férias, cadê você minha linda?!).

Era por volta de 11 hrs quando nos despedimos do Rivaldo, nosso irmão do Camping Viveiro. Ele a todo momento nos alertava sobre o risco em se colocar carro pequeno na estrada que segue até Macaquinhos. Mas nós já havíamos pegado umas dicas valiosas – Cola aqui que você vai saber também!

Seguimos até São Jorge, pois combinamos de passar esse dia com uma amiga mais do que querida, Janaína, que por lá acampava com outra moça. Chegando lá tomamos nosso café – sim, tarde. Compramos lanches e seguimos.

 

Dicas para Cachoeira do Macaquinho:

1- Distante aproximadamente 45km de Alto Paraíso, você segue sentido Brasília por 15 km, há uma entrada à esquerda (sinalizada com placa para as Cachoeiras). Os 30 kms seguintes são de chão e muita poeira. Mas aqui é mais fácil de se situar pois há muita sinalização pelo caminho, diferente da Catarata dos Couros.

2 – Há placas sinalizando os kms finais, fique atento, pois se você não estiver em uma 4×4, não é recomendável que você vá até o estacionamento. Faça como fizemos, deixe o carro uns 900 metros antes da entrada. Você saberá quando encontrar uma descida BEM íngreme, e provavelmente haverão ali outros carros já estacionados. (Olha, não arrisque pois há muitos relatos de carros atolados. Seja no “talco”(areião fofo da época de seca) ou na lama em época de chuva.

3 – A entrada custa R$ 20 (Julho/2016). Leve dinheiro em espécie.

4 – Como sempre digo: Não esqueça lanches e água. Tênis confortável.

5 – No sítio onde se localiza a Cachoeira do Macaquinho, também há um Camping. Caso você opte por acampar, leve TUDO (Equipamentos, comida, água) – Não aceitam animais.

6 – A trilha total na Cachoeira do Macaquinho é de 4 km (Ida e volta), nível médio. Tem uns pedaços “puxados”, um ótimo exercício para as pernas…rs.

7 – Chegue cedo, pois esse atrativo te toma um dia inteiro.

8 – Outra dica valiosa: nós passamos a tarde toda ali para depois pegar estrada de volta para Brasília e não recomendamos. Pois passamos boa parte do tempo preocupados com a volta e o atrativo em si tem MUITO a ser explorado. Nós não conhecemos muitas das piscinas por falta de tempo mesmo.

9 – Segundo algumas pesquisas há uma cachoeira pertencente a Macaquinho que você pode praticar nudismo. Isso mesmo, e Banho Pelado é o nome dela. (E porque que eu não li isso antes, heim?! Acho que teremos que voltar para conferir a informação… rsrs).

10 – Perto da onde ficam os carros menores (+ ou – 1 km antes da entrada) há o Mirante do Vão do Paranã.

O atrativo é um verdadeiro parque aquático natural, um belo complexo de cachoeiras e poços. Se não me engano são 10 piscinas e quedas d’água! Nós fomos até as duas últimas. Uma apenas para as fotos, a outra para um merecido e refrescante banho. Ficamos ali por um tempo, depois seguimos para outra piscina – Poço Sereno. No caminho há várias. Ouvimos falar bem da Caverna. Vimos uma galera animada saltando no que acredito ser o Poço Jump. Enfim, opções não faltam. Escolha a sua preferida, curta bastante e venha aqui nos contar! Hehehe.

 

Volta para Brasília

O sol começava a descer quando decidimos partir. Já estávamos cansados e teríamos uma trilha puxada, de subida e terra fofa. Por sorte conseguimos uma carona de um casal que estava em uma 4×4. Mesmo assim tivemos que esperar, pois outra 4×4 havia atolado – Procê vê como é a situação nesse pedaço. Vários rapazes se uniram para tentar desatolar, mas só a ajuda de um dos responsáveis pelo sítio conseguiu resolver o problema. Foi um Rally que levantou poeira para todos os lados!

 

Chegamos na BR-010 (GO-239) já no escuro, devia ser umas 18:30. Trouxe o Ousado com aquela sensação de que não deveríamos ter saído tão tarde. Ainda que a estrada seja muito tranquila, a visibilidade não é a mesma e o cansaço atrapalha. 

Bem querido(@)s, fica aqui mais uma postagem completinha. Caso vocês tenham alguma dúvida ou queiram colaborar de alguma forma, não se acanhem! Entrem em contato através do nosso e-mail: contato@levesemdestino.com

Nós também respondemos muitos leitores em nossas redes sociais: 

* Facebook: facebook.com/levesemdestino

*Instagram: @levesemdestino

Beijo na alma! <3

 

blogs - vem pro cerrado


sudeste asiatico, por onde comecar - tailandia - laos febre amarela - anvisa

O Leve Sem Destino faz parte de alguns programas de afiliados, isso significa que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados abaixo, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter.

 

Hospedagem | Aluguel de Carros | Seguro Viagem | Chip 4G

Gif por Marco Martina


Mônica Rodrigues

Leonina, brasiliense de alma e coração, graduada em Administração em Comércio Exterior e apaixonada por tudo o que envolve o ramo (apesar de não atuar nele). Tem verdadeiro fascínio pelo desconhecido. Acredita que pessoas se tornam melhores ao se depararem com o externo/ diferente, o que foge da “bolha”. Se sente em paz ao viajar e carrega consigo seu namô e sua família pra onde quer que vá.

4 comentários em “Cachoeira do Macaquinho – Chapada dos Veadeiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *