Como é voar para a Tailândia pela Ethiopian Airlines

Olá pessoal! Como já sabem, voltamos da Tailândia e Laos a pouco mais de um mês. Nesse tempo, o Leve Sem Destino já conta com muita informação sobre esses dois países (se você ainda não viu, veja ao final dessa postagem). Hoje, trazemos até vocês informações de como é voar para a Tailândia pela Ethiopian Airlines. Prontos? Vamos lá!


Como e voar para a Tailandia pela Ethiopian Airlines - aviaoO avião

As características técnicas da aeronave são de cair o queixo, a começar pelo fato de ser 20% mais econômica que outras do mesmo porte. O Boeing 787 dreamliner tem autonomia para percorrer distancias entre 14.800 à 15.700 km, ou seja, o suficiente para cobrir rotas que praticamente dão meia volta ao mundo! Sim, é impressionante…rsrs. O formato diferenciado das asas permite uma viagem 8x menos turbulenta e mais confortável para os passageiros e tripulantes.


Visor Multimídia e Kit Viagem

.

Em frente a cada assento tem um visor touch screen que contém informações do voo, tanto quanto uma.biblioteca de músicas e filmes. Você tem disponível dados como velocidade de cruzeiro, tempo de viagem e mapas do mundo inteiro. Quanto aos filmes, a maioria é em inglês e sem legenda. Existem alguns poucos que são em português. Como o tempo de voo é longo e não sabíamos o que iriamos encontrar pela frente, levamos um iPad com a série Stranger Things completa, e deu pra ver tudinho rsrs. O kit viagem que a equipe entrega logo no início contém: fones de ouvido, meias, cobertor, kit para higiene bucal, tapa olho e um pequeno travesseiro*.

Obs: Esse é o Kit Brasil – Tailândia e vice-versa, mas parte dele é recebida só na segunda parte da “longa jornada” (trecho entre Adis Abeba e Bangkok). Só os itens principais estão sempre presentes, que são o Kit para higiene bucal, travesseiro, fones de ouvido e a manta/cobertor..

.


Refeições

Os pratos não eram muito variados, mas nos surpreenderam. Na grande maioria das vezes nos eram oferecidas 3 opções: chicken, fish or meat (frango, peixe ou carne). Nas bandejas vinham o prato escolhido, uma saladinha e alguma sobremesa. Para acompanhar: refrigerantes, sucos, água, vinho ou cerveja. No café da manhã geralmente havia pão, manteiga, geleia, ovos e salsicha – coisa que não é muito comum logo cedo na nossa típica refeição brasileira. Um detalhe bem interessante: A cada 3 horas, mais ou menos, a equipe passava com o carrinho para distribuir comida. Ou seja, mal dava tempo de sentir fome (aposto que você super curtiu essa informação…rs).


Poltronas

Agora, o que todo mundo quer realmente saber: Como é voar para a Tailândia pela Ethiopian Airlines quanto ao espaço para o passageiro? O assento reclina bastante? Então, o assento é maior do que os de aeronaves mais comuns e também deita mais. Não tínhamos do que reclamar pelo preço que pagamos (classe econômica). Mas como são voos de longa duração, ficamos bem acabados. Eu, particularmente, senti dor na coluna e, na volta minha bunda (desculpe o termo, mas o nome é esse mesmo rsrs) ficou dolorida por quase uma semana. Já Mônica, sentiu apenas o inchaço causado pela retenção de líquido, devido a ter ficado muitas horas sem poder se levantar e caminhar o necessário. Também uma “dorzinha nas cadeiras”.


Afinal de contas, como é voar para a Tailândia pela Ethiopian Airlines?

Não somos experts em voos internacionais, longe disso. Quem acompanha o blog há um tempinho sabe que essa foi nossa segunda viagem internacional (de muitas que ainda virão, digam todos, Amém!). 🙂

De qualquer forma, podemos dizer que foi uma experiência compensadora. A Ethiopian Ailines surpreendeu a nós e outros blogueiros que viajaram na mesma época (todo mundo pegou a mesma promoção que eu sei…rs). Recomendamos à todos, e já nos vemos naquele Boeing, no futuro.

 


Curiosidades
  •  Ethiopian Airlines na língua de origem: (oi??)
  • As aeromoças dessa Cia Aérea são todas negras, com fortes traços característicos de seu país (com todo o respeito, são lindas de viver). Sempre muito solícitas, mas confesso que o inglês delas não é dos mais fáceis de se compreender.
  • O Aeroporto de Addis Ababa (Capital da Etiópia) é pequeno, bem simples e praticamente, nada confortável. Mas vale a pena parar em um dos poucos restaurantes para uma Walia beer, uma cerveja local, muito boa!

 


Links Úteis

Bom pessoal, se você ficou com mais alguma dúvida sobre como é voar para a Tailândia pela Ethiopian Airlines, deixe um comentário. Ficaremos extremamente felizes em poder te ajudar. E, já que estamos falando sobre o Sudeste Asiático, seguem os links das postagens anteriores com informações valiosas:

.


sudeste asiatico, por onde comecar - tailandia - laos febre amarela - anvisa

O Leve Sem Destino faz parte de alguns programas de afiliados, isso significa que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados abaixo, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter.

 

Hospedagem | Aluguel de Carros | Seguro Viagem | Chip 4G

Gif por Marco Martina


Fábio Brasil

Brasiliense, formado em Ciência da Computação e louco por tecnologia. Assim que começou a ganhar um pouco de dinheiro e comprou um carro, passou a viajar bastante com sua namorada e parceira de blog, Mônica Rodrigues. Degustador amador de vinhos, cervejas e bons drinks. Pronto para aproveitar o melhor que a vida tem a oferecer!

4 comentários em “Como é voar para a Tailândia pela Ethiopian Airlines

  • 11 de maio de 2017 em 14:13
    Permalink

    Olá Fábio, fizemos o mesmo trajeto Recentemente e acho que faltou você mencionar algo que considero importante para que as pessoas estejam atentas e evitem agir de maneira preconceituosa. Eu vi um cena que me deixou muito desapontada com alguns brasileiros. Diante de um outro passageiro negro que estava no avião as pessoas torciam o nariz e chegaram a chama-lo (em português para que não fossem compreendidos) de nojento e que não tomava banho. Para mim é tão claro que pessoas de pele negra ao passarem muitas horas voando sofrem em decorrência da sua condição genética. É algo biológico. Tenho certeza que a pessoa não escolheu estar fedida. Então, caro leitor, se um dia pegar um desses voos com várias pessoas dessa etnia, seja gentil e não os critique. Educação e polidez nunca é demais. Principalmente em um ambiente em que dividirá com estranhos por horas. Fica a dica de alguém que quase morreu de vergonha alheia.

    Resposta
    • 16 de maio de 2017 em 09:01
      Permalink

      Oi Raquel.

      Fábio pediu para que eu ajudasse na resposta…rs.
      Primeiramente, peço desculpas pela demora, esses dias estão corridos. 🙂

      Sim, nós nos deparamos com essa situação diversas vezes (de sentir o mal cheiro de algumas pessoas). Na Tailândia era bem comum, pois o calor era muito intenso, como vc mesma deve ter sentido.
      Chamávamos o cheiro suspeito de “futum”. Mas vale observar que: o cheiro vinha de diversos turistas. Na grande maioria das vezes, sentíamos perto de pessoas que, muito provavelmente, eram europeias. Chegamos inclusive a comentar isso em um videozinho no stories do IG, dizendo que o perfume francês não estava dando conta da situação…rs. Agora que você fez essa observação nós paramos para refletir sobre nossa postura. De forma alguma queremos ofender alguém, independente da etnia a qual pertença… Acho que esses brasileiros exageraram sim. E prometemos tomar cuidado sobre o que nós mesmos falamos. Fica registrado o recado.
      Essa observação é importante de ser abordada e podemos pensar sobre uma postagem que fale sobre as diferenças que encontramos ao colocar os pés lá fora. Alertando sobre cuidados, postura e atitudes de respeito. Afinal, quando visitamos a casa de qualquer pessoa, não fazemos o que der na telha, né? É isso que nos faz mais humildes.

      Obrigada pela dica!
      Abração 😉

      Resposta
  • 11 de maio de 2017 em 13:08
    Permalink

    Fala Fábio!

    Acho que com relação a sair quebrado do vôo, não tem jeito. São muitas horas preso no avião, a gente sai todo ‘torto’ mesmo kkkk… Por falar nisso quantas horas vocês levaram na viagem sem contar a escala?

    Abraço

    Resposta
    • 16 de maio de 2017 em 07:57
      Permalink

      Fala Flavão! É complicado mesmo. Não tem jeito! É muito tempo sentado, quase na mesma posição rsrsr Foram 22 horas de voo de voo sem as escalas. E a de vocês? 😉

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *