Barra do Garças – Muito Além da Serra do Roncador

Barra do Garças, primeiramente, é um enorme prazer te conhecer. Você é muito bonita, sabia? Essas tuas serras são estupendas. A gente olha pro alto e fica maravilhado. É verde, farto, rico. Mas se você quiser olhar para os lados, vai ter água. Ó, muita água!

Barra do Garças, tão pouco difundida no trade turístico. Eu ainda não entendo o porquê, mas minha missão é ousada: Vamos apresentar Barra do Garças para o mundo?! Saiba o que fazer, onde ficar e tudo que você precisa para começar a planejar essa viagem.


O que você encontrará nesse artigo:


Como Chegar em Barra do Garças

Seguidores de carteirinha do @levesemdestino sabem que a gente mora em Brasília e fomos a Barra do Garças no Ousado, nosso Etios, que por sinal cortou meio estado sem nos deixar na mão em nenhum momento. Nós fizemos uma viagem de carro passando por Barra do Garças, Nobres, Chapada dos Guimarães e Baliza, em Goiás. 

 

Como Chegar em Barra do Garças Partindo de Brasília

De Carro

Independentemente da rota que você escolher partindo de Brasília/DF, em algum momento o caminho seguirá a BR-070 – ou a viagem será inteiramente cortando a BR.

 

BR-070

Nós fomos por ela. Passamos pelas cidades de Águas Lindas de Goiás, Pirenópolis, Jussara, Montes Claros, Aragarças e, finalmente, Barra do Garças.

Uma observação a ser considerada: Há pontos na BR onde o asfalto acaba. São trechos curtos de estrada de terra, mas bem chatinhos, apesar de serem lisos. 

Também notei uma precariedade de estrutura de beira de estrada (postos de combustível, banheiros/lanchonete). Então a dica é sempre abastecer quando o automóvel chegar a meio tanque, para garantir não ficar em apuros.

Dica: Pode parecer que você está meio perdido, por conta desses trechos de terra, mas não se preocupe. Aconteceu com a gente também. 

 

Via BR-060 e BR-070

Esse trecho passa por pedágios e apesar de ser mais curto que o primeiro (557 km) ele leva cerca de 10 minutos a mais, segundo o Google Maps. 

Nele, o percurso passa pelas cidades de Alexânia, Abadiânia e Anápolis. No fim das contas ele também passa pelas estradas “cortadas” de terra, então não acho realmente que compense. 

 

Via GO 010 e BR 070

Já o terceiro percurso é quase 100 km mais longo. Passa por Inhumas mas, lá na frente, chega em Itaboraí e segue o que já falei nas rotas anteriores. Ou seja, não vale a pena.

Eu cheguei a pensar que tivéssemos feito uma escolha ruim, mas ao que parece, é isso mesmo.

  • A viagem leva entre 7 e 8 horas.
  • Dica: leve lanches, água e uma marmitinha. Melhor se garantir para não ficar com fome.

 

De Ônibus

Para quem vai a Barra do Garças partindo da capital do país, a empresa Viação Xavante faz o trajeto em uma viagem que leva entre 10 e 12 horas.

 

De Avião

Infelizmente não há voos partindo de Brasília – apesar de existir aeroporto na cidade, ele é de pequeno porte e recebe voos da companhia Azul partindo da capital, Cuiabá.

 

Como chegar em Barra do Garças partindo de Goiânia

De Carro

De Goiânia a Barra do Garças o trajeto é bem mais curto, se comparado a Brasília. Pouco mais de 380 km separam Barra da capital goiana.

 

Via BR-060 e BR-070

O trajeto passa por Trindade, São Luís de Montes Belos e Montes Claros, até chegar na BR-070, em Aparecida do Rio Claro.

 

Via BR-070

Esse percurso segue direto a Itaberaí, então BR-070.

  • A viagem leva em média 5 horas.

De Ônibus

Partindo de Goiânia as companhias são Viação Xavante, Verde Transportes e Viação Satélite Norte.

 

Como chegar em Barra do Garças partindo de Cuiabá

De Carro

Já para quem vem da capital do Mato Grosso, o percurso mais rápido é, advinha? Isso mesmo, BR-070, partindo do lado oposto.

Há dois percursos que diferem pouco, sendo BR-070, passando por Chapada dos Guimarães, ou BR-163/BR-364 e BR-070, passando por São José da Serra. Ambas saem em Campo Verde e continuam por Primavera do Leste e General Carneiro.

  • A viagem leva entre 6 e 7 horas.

De Ônibus

Partindo de Cuiabá, as Viações Rio Novo e Satélite Norte fazem o trajeto em cerca de 10h de viagem.

 

De Avião

Pela Companhia Azul há voo direto partindo da capital do Mato Grosso*.

*Em tempos de fechamento dos aeroportos devido a pandemia do Covid-19, o Aeroporto de Barra do Garças ficou totalmente fechado. Segundo informações do g1.com, os vôos retornarão neste mês, julho. 

 

Saiba: Mato Grosso faz parte de outro fuso horário. Sim, lá (no estado de Mato Grosso) é uma hora a menos, porém, Barra do Garças, por fazer parte da fronteira GO/MT, segue o horário de Goiás (ou seja, chegando lá você fica meio perdido, pois os aparelhos eletrônicos marcam dois horários diferentes. Siga sempre o horário de Brasília)

 

O que fazer em Barra do Garças

 

Parque Estadual da Serra Azul – Mirante do Cristo Redentor

O Mirante do Cristo equivale em importância, ao Cristo Redentor no Rio de Janeiro. Quem não sobe as escadarias não esteve em Barra do Garças. E advinha? Nós não subimos

Acontece que fomos quando os decretos fechavam diversos atrativos, devido a pandemia. Confesso que não imaginei que um atrativo ao ar livre fosse fechado, porque em Brasília e Chapada dos Veadeiros praticamente tudo estava reaberto, seguindo os protocolos de segurança e distanciamento. De qualquer forma, saímos daqui cientes de que isso pudesse acontecer e ficamos conformados (mentira, até hoje eu durmo em posição fetal..snif).

O Mirante do Cristo é não só opção fortíssima no turismo religioso, muito frequentado por quem vai pagar promessas e agradecer graças concebidas. Ele também é dono do melhor cartão postal da cidade

arra-do-garcas-o-que-fazer-turismo-serra-roncador-mato-grosso-fazenda-recanto-da-serra-booking-onde-ficar-serra-azul-clima-aeroporto
Imagem gentilmente fornecida por: @voosbg

Imagem de: @voosbg.

Escadaria da Fé

Leva até o Cristo. São 1200 degraus onde, do alto, é possível vislumbrar as cidades de Barra do Garças, Aragarças e Pontal do Atalaia. Juntas, elas se transformam em uma só.

Tem ainda a vista do Rio Araguaia e Rio Garças, as serras – tudo ali é serra gente, é muito lindo – e a paz de estar em um local sagrado para o barra-garcense.

Aí você pensa né? Que maravilha, tá bom demais pra ser verdade. Só que não acaba aqui.

Descendo por trás do Parque Estadual Serra Azul você pode acessar nada menos do que 14 cachoeiras e um discoporto.

O Parque Estadual Serra Azul é uma Área de Proteção Ambiental, de 11 mil hectares, criada em 1994 para proteger o bioma cerrado que é predominante na região. Nele é possível acessar a Caverna dos Pezinhos, o Discoporto e as 14 cachoeiras.

 

Caverna dos Pezinhos

Parte do mistério, entre tantos que existem em Barra do Garças. Uma formação onde as paredes e o teto possuem marcas de pés. O curioso é que estes pés tem sempre 6 ou 4 dedos, nunca 5 dedos.

 

Discoporto

Estacionamento para nave espacial?! Em Barra do Garças, tem! 

Como já mencionei aqui, a cidade é envolvida por mistérios, entre eles, histórias de aparecimento de objetos voadores não identificáveis (OVNIS). Valdon Varjão, então vereador de Barra do Garças, em 1995, conseguiu ter aprovado seu projeto de lei para a construção do Discoporto.

Boas novas: Segundo a Secretaria de Turismo de Barra do Garças, @secturbg, O Discoporto, que estava abandonado, passará por revitalização.

arra-do-garcas-o-que-fazer-turismo-serra-roncador-mato-grosso-fazenda-recanto-da-serra-booking-onde-ficar-serra-azul-clima-aeroporto
Imagem gentilmente fornecida por: @voosbg

 

Trilha das Cachoeiras

As 14 cachoeiras do Parque Serra Azul são acessadas através das escadarias ou, pela entrada do Centro de Atendimento ao Visitante (CAV). Neste caso, a visitação é limitada, liberada exclusivamente para Idosos, Pessoas com Deficiência e Gestantes. A estrada leva ao Discoporto, ao Mirante do Cristo e à primeira cachoeira.

 

Atenção: O percurso tradicional da trilha, pelo que nos disseram, não é auto guiável para todas as cachoeiras, logo, se você quer conhecer tudo mesmo é recomendada a contratação de um guia. Ao final desse post vou deixar a sugestão do nosso: Seu Osmair.

 

  • Ao todo você tem acesso a Escadaria da Fé, Mirante de Cristo, Discoporto, Gruta dos Pezinhos e a trilhas para as 14 cachoeiras, recheada de rica fauna e flora.

 

Agora o mais curioso sobre o Parque Serra Azul é que tudo isso fica localizado em perímetro urbano. E a parte boa: o acesso é gratuito!

Saiba: O Parque Estadual da Serra Azul é um braço da mística Serra do Roncador. Essa Serra é a grande sensação para quem visita Barra do Garças. 

 

Parque das Águas Quentes

Esse foi, disparado, um dos melhores e mais bem avaliados atrativos de Barra do Garças. Acessível, barato e com águas termais, o Parque das Águas Quentes, ao que parece, fechou para reforma em uma piscina de ondas e nunca mais reabriu. O barra-garcense ainda fala sobre esse fechamento com olhos marejados. (rs).

 

Serra do Roncador 

Mística, imponente e de uma fauna e flora riquíssimas. Do alto de seus 700 metros de altura, se assemelha a uma cordilheira brasileira. O cerrado em sua forma exuberante. A Serra do Roncador tem cerca de 800 km. Um território que sai da fronteira com Goiás e vai até a Serra do Cachimbo, no Pará.

A Serra do Roncador teria esse nome devido ao barulho do vento quando bate nas fendas, produzindo o ronco. Mas há também uma história indígena que conta que havia muitos veados campeiro subindo a serra, e quando os animais dormiam eles produziam o ronco. Assim, esses povos subiam a serra a procura do animal. Quem nos contou isso foi seu Osmair, o guia mais experiente da região.

A Serra do Roncador é famosa por conta de seu misticismo – Alô, Veadeiros. Repleta de lendas e todo esse terreno fértil que desperta nossa curiosidade. 

Outra história curiosa é a do arqueólogo britânico Percy Fawcett, que desapareceu ao organizar uma expedição para procurar uma civilização perdida em algum lugar da serra.

Dizem que Percy, seu filho Jack e um amigo de seu filho foram em busca da cidade perdida, chamada de “Z”. O ano era 1925 e ele estaria convencido de que a cidade realmente existia. Dessa busca, ele nunca mais retornou e os relatos seriam de que os três foram mortos por indígenas hostis, ou, atacados por animais selvagens. Mas há ainda quem acredite que eles realmente encontraram a cidade perdida e não puderam regressar.

 

Guia Para o Tour Na Serra do Roncador

Seu Osmair, o mateiro mais experiente da região. Conhece as trilhas e sabe muito bem como sobreviver com a riqueza que a mata nativa de cerrado dispõe, sem degradar.

Nascido próximo de onde fica o mais perfeito complexo de cachoeiras da Serra do Roncador, chamado de Complexo do Bateia, seu Osmair tem muitas histórias para contar – além de muito o que ensinar.

 

Como chegar à Serra do Roncador

Os pontos mais interessantes da Serra do Roncador são acessados partindo de Barra do Garças, sentido Nova Xavantina. No Tour do Roncador, você acessa o Park Portais do Roncador, um dos paredões onde fica o principal guardião; pelo Arco de Pedra, onde é possível ter contato com outros “guardiões” do Roncador e ver de perto cavernas e formações rochosas que foram fundo de mar.

Há ainda possibilidade de hospedagem na Fazenda Portal do Roncador, aos pés do guardião, 70 km distante de Barra do Garças. Quem cuida desse espaço é seu Maurinho, que mora ali  há 30 anos e é um “guardião humano” da Serra. Seu propósito é conectar o ser humano à natureza.

Seu Maurinho oferece hospedagem na fazenda e tour guiado em 6 atrativos. Tudo muito simples e é possível que o visitante tenha que levar as refeições consigo. Não tenho muita certeza sobre como funciona, mas vou deixar o contato dele aqui:

 

Também tem informação com riqueza de detalhes nesse post do Mapa do Mato, basta rolar a publicação para o Park Portais do Roncador. Tem ainda, outros atrativos além dos que vou postar aqui, então vale a pena se basear no Leve Sem Destino e no Mapa do Mato na montagem do seu roteiro. 🙂 

 

Fazenda Recanto da Serra

A Fazenda Recanto da Serra fica a 48 km de Barra do Garças, localizada em um braço da Roncador. Um espaço enorme, super bem preservado e estruturado para receber diferentes grupos. Mas o melhor de tudo está no complexo de cachoeiras belíssimas. São 8 cachoeiras e diferentes tons de cores, que mesclam entre verde e azul. Tem ainda mirantes, vegetação nativa de beira de rio e veredas que formam verdadeiras obras cênicas com seus buritis e paisagens alagadas.

 

Cachoeira Azul

40 metros de queda, um poço grande e profundo, cercado por um paredão preservado. Suas águas são a perfeita combinação dos tons verde e azul. A evidência das cores é nítida quando o sol incide sobre ela. 

A trilha para a Cachoeira Azul é considerada nível médio, com pontos de travessia pelo rio. 

  • Dica: leve sapatos aquáticos.

 

Azul das Águas

Essa aqui é de deixar qualquer poço azul intimidado rs. Localizada na parte alta da Fazenda, um atrativo de borda infinita com vista para a Cachoeira Azul. Por estar quase sempre exposta ao sol, suas águas cristalinas ficam em evidência. 

Ao visitar o atrativo Azul das Águas, o/a visitante vislumbra um cânion belíssimo.

barra-do-garcas-o-que-fazer-turismo-serra-roncador-mato-grosso-fazenda-recanto-da-serra-booking-onde-ficar-serra-azul-clima-aeroporto
Foto gentilmente fornecida pela @tinaviajante

 

  • A trilha para a cachoeira Azul das Águas é considerada leve/moderada;
  • Geralmente, o atrativo é visitado em conjunto com outros locais, como a Cachoeira do Portal Encantado e o Poço da Conquista.
  • É possível praticar snorkel/flutuação;
  • Na imagem: @tinaviajante, guia de Chapada dos Guimarães.

Pelo que seu Osmair nos explicou, o acesso ao atrativo Azul das Águas é possível, ou com carro 4×4, ou a pé em uma trilha considerada difícil.

 

Cachoeira do Portal Encantado

Também está na parte alta da fazenda, logo acima do Azul das Águas. A trilha que leva até a Portal encantado passa por dentro d’água. Possui poço para banho.

 

Poço da Conquista

Poço de difícil acesso, sendo necessário uso de cordas e até escalada para chegar nele. Tem esse nome devido ao fato de seu/sua visitante ser realmente um(a) conquistador(a).

 

Pedras Manchadas

Fica um pouco acima do Azul das Águas. Espaço formado por poços rasos, ao lado de cânions. Seu nome é devido às diferentes manchas que colorem as pedras do local.

 

Cachoeira Paraíso

Saindo do atrativo anterior – Pedras Manchadas – você chega nessa cachoeira, que dizem ser um verdadeiro paraíso. Trilha de nível difícil, daquelas que cada passo é compensado quando chegamos.

 

Cachoeira Perdida

40 metros de queda em um poço verde cheio de areia no fundo. Massageador e relaxante. A trilha é uma atração a parte. Passa por mata densa, partes alagadas, onde é possível ver as pegadas dos “habitantes locais” (jabutis, antas, pacas, porcos queixada,  aves e, as vezes, onça parda.

 

Cachoeira Escura

Trilha de nível leve, levando apenas 10 minutos. Essa cachoeira é levemente estreita, rasa, mas tem seu charme.

 

Mirante do Morro Vermelho

Vista panorâmica do Vale do Araguaia. Imensidão em um território de cerrado preservado. A trilha que leva ao Mirante do Morro Vermelho é feita em 15 minutos de caminhada ou veículo 4×4.

 

Saiba:

  • Para visitar qualquer atrativo da Fazenda Recanto da Serra é necessária a presença de guia.
  • Os passeios geralmente são feitos em combinação. No nosso caso, por exemplo, fomos à Cachoeira Azul e à Cachoeira Perdida.
  • No valor da guiagem estão inclusos os EPIs, que são, a perneira (proteção contra arranhões e picadas de cobra) e o espaguete. Também está incluso o seguro contra acidentes.

 

Valores

  • Os valores variam de acordo com o atrativo escolhido. No caso da Cachoeira Azul, a mais famosa e procurada, o valor é de R$ 70.

Nós não conseguimos nos unir a algum grupo já existente, então pagamos  o valor das cachoeiras: R$ 100 por pessoa, e R$ 100 do seu Osmair.

Vale ressaltar que Ralf foi muito prestativo nos enviando o melhor guia para um passeio exclusivo, então fica aqui nossa recomendação para a Roncador Expedições 

 

Hospedagem Fazenda Recanto da Serra

A Fazenda Recanto da Serra também oferece hospedagem em pousada e área de camping. Sendo possível ainda alugar barracas – já recebe tudo montadinho, com equipamento.

No pacote para hospedagem estão inclusas as principais refeições e lanches para a trilha. Também está incluso o guia. Geralmente feito de sexta a domingo. A gente não fez por falta de tempo, mas creio que essa seja uma excelente forma de aproveitar o máximo de atrativos, já que você tem 2 dias e não perderá tanto tempo no deslocamento.

 

A Fazenda Recanto da Serra só recebe grupos mediante agendamento.

  • Caso você queira detalhes sobre a hospedagem, entre em contato com o perfil @fazendarecantodaserra no instagram. Aproveita e fala que você veio pelo site Leve Sem Destino. 

 

Cachoeira Cristal

A Cachoeira Cristal está localizada a cerca de 50 km de Barra do Garças, sentido Cuiabá.

Com trilha de nível fácil, de apenas 300 metros, nós quase fomos nela. Não chegamos a visitar pois, por conta da pandemia, os responsáveis pela fazenda estavam recebendo grupos fechados/agendados com bastante antecedência.

 

Vale Do Ouro

Conhecemos o Vale do Ouro no mesmo dia do Tour pela Serra do Roncador. Esse atrativo faz parte da Fazenda Serra Azul, que também é extensão da Serra do Roncador. Nele, a visitação é até esse belo rio com quedas, piscinas naturais e poços.

O passeio completo leva ainda à outra cachoeira, mas por conta do tempo curto preferimos ficar só ali, ao invés de poucos minutos em cada atrativo.

 

O Vale Dourado me lembrou muito o Vale da Lua, na Chapada nos Veadeiros.

 

Complexo do Bateia

Mais uma extensão do Roncador. O Complexo da Bateia tem esse nome devido a quantidade de cânions, cachoeiras, quedas e poços. O complexo é tão grande que são necessários dois dias para conhecer os principais pontos de banho e contemplação.

 

Os principais pontos do complexo são:

  •  1º dia: Cachoeira da Bailarina, Poço dos Duendes (com um escorregador natural), Caldeirão da Bruxa, Poço da Sabedoria, Cachoeira do Violão, Poço da Esmeralda e Ponte de Pedra.
  • 2º dia: 5 km de trilha moderada, passando por riachos, para conhecer a Cachoeira do Jatobá e a Cachoeira da Caverna.

 

Imagens gentilmente fornecidas por Roberta Stella @brstella.

 

Experiência com Povos Indígenas

Seu Osmair mencionou sobre a possibilidade de visitação aos povos indígenas e ver de perto toda essa riqueza que faz parte dos verdadeiros descobridores do Brasil. Como a pandemia ainda não está controlada, acredito que essa experiência não esteja disponível no momento, mas vale a pena favoritar esse post para você fazer quando for possível.

 

Assentamento Serra Verde

Roteiro em um assentamento de reforma agrária com trilha e banho em cachoeiras, além da vivência com uma família de agricultores de subsistência.

 

Cachoeiras de Nova Xavantina

  • Cachoeira da Gratidão;
  • Rancho Ponte de Pedra;
  • Cachoeira da Saudade;
  • Cachoeira Abonízia;
  • Cachoeira da Nascente;

E olha, tem muito mais. Impossível listar tanta coisa. A gente definitivamente, vai ter que ficar alguns dias na cidade de Nova Xavantina.

 

Guia para Serra do Roncador e Fazenda Recanto Da Serra

Seu Osmair Guimarães Farias, mateiro, nascido em território pertencente ao Complexo da Bateia. Foi ele quem guiou a equipe da TV Globo no Tour pela Serra Do Roncador.

 

Contato seu Osmair:

(66) 99201-1415

 

Thermas Água Santa

Uma possibilidade distante 30 km de Barra do Garças, já no estado de Goiás, em Aragarças. A Thermas Água Santa é um parque aquático com piscinas termais e praia de água doce particular, pois tem acesso ao Rio Araguaia.

Imagens gentilmente fornecidas pelo @aguasantathermas.

 

Salto do Paraguassu

Essa é uma opção um pouco mais distante e sim, também atravessa as fronteiras MT/GO. A Salto Do Paraguassu é mais uma daquelas cachoeiras que ocuparam a lista das top 10 preferidas do casal Leve Sem Destino. 96 metros de queda livre em um paredão sinistro. Paisagem fechada, predominante de Mata Ciliar e Mata de Galeria.

Não há imagem que expresse a real sensação de estar e um local tão místico e selvagem. Quando fomos estávamos a sós (completamente), então nossa experiência foi de um valor incalculável.

 

A estrada de terra para chegar à Salto do Paraguassu não é simples para carros baixos. É penosa com pontes esburacadas, passagem de rios e muitas porteiras para abrir e fechar (por favor, feche).  Mas o Ousado – nosso étios – chegou, a noite. E mesmo não sendo fácil, todo esforço será recompensado, acredite.

Você pode visitar a Salto do Paraguassu em um Day Use, ou, acampar.

São 38 km de estrada de terra partindo da cidade de Baliza, Goiás.

Valores:

  • R$ 20 Day Use
  • R$ 40 Acampamento

*Junho/21

Por falta de espaço nessa bíblia, ops, publicação, vou deixar as orientações sobre como chegar por conta do Denner . Foi ele quem nos orientou direitinho. 

@saltoparaguassu  (66) 99648-8417

 

Cachoeiras de Barra do Garças

Cachoeira Pé da Serra: Faz parte da cidade de Barra do Garças. Trilha curta, leva cerca de 15 minutos. Entrada gratuita.

Cachoeira Paraíso: Fica em propriedade privada, a Chácara Serra Verde. Local de fácil acesso para carro popular. Possui boa infraestrutura, com restaurante e estacionamento.

Entrada R$ 10

 

Praias de Água Doce

As orlas dos Rios Araguaia e Garças formam praias em épocas de seca, de maio a outubro. Elas são a grande sensação para o barra-garcense (ou eram, antes do Covid-19).

 

O que Fazer em Barra do Garças – Outras possibilidades

Saiba que é possível fazer canoagem e Rafting descendo pelo  Rio Araguaia, além de passeio de barco, partindo do Porto Baé.

Imagens gentilmente fornecidas pelo Ralph @roncadorexpedicoes.

 

  • O Rio Araguaia se encontra com o Rio Garças na fronteira Goiás/ Mato Grosso.

 

Agências e Guias de Turismo em Barra do Garças

 

Por que Barra do Garças

Eu imagino nossos leitores e seguidores do @levesemdestino entortando o nariz ao nos ver seguindo para um destino que muitos sequer sabiam da existência (desculpa mato-grossenses, são poucos os goianos que conhecem BG. Brasília então nem se fala

A verdade é que a primeira vez que ouvimos falar de Barra foi na Chapada dos Veadeiros, mais especificamente na Cachoeira do Papagaio. Lá conhecemos o casal Neidiane e Nathan, ambos barra-garcenses, e lembro que Neidi falou tanto, mas tanto de sua cidade natal, que não deu outra. Ficou arquivado para consulta no momento certo.

 

Onde Ficar em Barra do Garças

Nós ficamos acampados no Rancho Camboeiro. Um lugar de estrutura simples, a beira do Rio Araguaia, longe do Vuco-vuco

barra-do-garcas-o-que-fazer-turismo-serra-roncador-mato-grosso-fazenda-recanto-da-serra-booking-onde-ficar-serra-azul-clima-aeroporto
Vai um cafezinho? Esse é o Café Viola, produzido em Barra.

da cidade. Seu Jair e Tati foram excelentes anfitriões, nos deixando bem a vontade. O Rancho é verdinho, arborizado e cheio de vida. Mas atenção: Seu Jair está mais acostumado a receber pessoas em motorhome, que já vem equipados com cozinha. Se for o caso, lá também possui chalés.

 

Para quem não é do time de acampar e busca um local mais estruturado/ localizado, uma boa pedida é a Pousada Casa Grande, que conta com excelente localização – pertinho do Porto Baécafé da manhã variado e vista para a serra. Suas suítes são nomeadas com as aves da região. Hospedagem com valor super acessível.

 

Outra boa opção é o Odara Araguaia Hotel, que possui piscina, bar e restaurante, além de recepção 24h. Suítes com ar-condicionado, frigobar, TV de tela plana e varanda privativa.  Amenidades charmosinhas. Mas o ponto alo do hotel é a vista para o rio e o jardim ao redor.

 

Agora se você quer economizar sem perder a qualidade na estadia, o Hotel Pousada Arara Azul é o tipo de acomodação onde você se sente em casa. Local  silencioso, ideal para descansar dos passeios. Localização próxima ao centro. Acomodações simples, mas com café da manhã bem elogiado e staff gentil.

Outras duas boas opções, com valores semelhantes são a Pousada Dois Rios e o Hotel Boa Viagem.

Onde Comer em Barra do Garças

Buteco do Bicudo: Pedimos a Peixada do Bicudo e simplesmente amamos.

Tucunaré na Telha (Restaurante Flutuante): Fomos para curtir a localização, o clima e petiscar. Não é barato, mas o drink era bom, bem apresentado. O petisco, peixe empanado, estava bom.

Pizzaria Coqueiro: Serve uma pizza bem gostosa! Nós pedimos 2 sabores (meio a meio) e adoramos. Local com mesas ao ar livre, super arejado. Destaque também para o garçom que nos atendeu aquela noite, super gente fina.

 

O que Fazer em Barra do Garças a Noite

Porto Baé, local de onde partem embarcações que seguem para passeios pelo Rio Araguaia. Em sua orla há bons quiosques, com vista privilegiada para a ponte, o rio e toda a vegetação de serra que se encontra do lado oposto. Point do barra-garcense, excelente para já chegar no fim da tarde.

 

Melhor Época para Ir a Barra do Garças

O clima em Barra do Garças varia entre o quente e o “calorão danado”! (rs). Mas há uma temporada excelente para curtir praia de água doce, que são os meses de junho e julho. Nessa época devido a estiagem a orla do Rio Araguaia forma praias perfeitas para banho e esportes aquáticos.

  • A época da seca em BG vai de maio até setembro. Mas não é via de regra, pois esse ano choveu pouco antes da gente chegar (maio);

Quantos Dias Ficar em Barra do Garças?

No mínimo 4 dias. Agora se você resolver se hospedar na Fazenda Recanto da Serra, o que recomendo muito, separe mais tempo. Não esqueça de fazer também o Tour pela Serra do Roncador, Complexo do Bateia, Rafting ou canoagem pelo Rio Araguaia. E claro, não vá embora sem subir as escadarias.

 

Dicas Extras

Em Barra do Garças, fuja do centro. É muito sério isso gente, o centro parece uma teia de aranha e quanto mais você tenta se movimentar, pior fica.

Tanto em BG quanto em qualquer outra cidade do Mato Grosso, experimente a farofa de banana. Olha, eles são especialistas!

 

A Gente Volta

Rio Araguaia, você é quase uma divindade barra-garcense. Não conheço um nativo que não seja alucinado em suas praias. Barra do Garças parece pequena e realmente não é considerada cidade grande, mas é sim completa, com Polo Universitário, grandes lojas e aeroporto.

A maior atividade econômica de Barra do Garças é a Agropecuária, o que é uma pena, pois o potencial para explorar o turismo de aventura e o Ecoturismo de forma sustentável é gigante.

Barra do Garças, cercada pela serra e o rio, inserida em meio ao que há de mais rico em território nacional. Encontrar um espaço privilegiado assim, sem a devida atenção que merece era algo perturbador – mas agora estamos aqui para mudar esse cenário.

Daqueles destinos que a gente volta, que explora mais, que visita os arredores. Mal posso esperar para nos ver em todos os lugares que não fomos. Que o mato-grossense (e nós, brasileiros) saibamos valorizar nossas maiores riquezas naturais. Eu acredito nisso, e você??

barra-do-garcas-o-que-fazer-turismo-serra-roncador-mato-grosso-fazenda-recanto-da-serra-booking-onde-ficar-serra-azul-clima-aeroporto
Nossa casa 1 bilhão de estrelas. 🙂

 

Barra, até logo.

VivaLeve

O Mapa do Mato foi nossa maior e melhor referência na passagem pelo estado de Mato Grosso, fica aqui nossa recomendação para você.

Quer saber mais sobre o Estado de Mato Grosso? Leia os próximos posts: Nobres, Chapada dos Guimarães. Tem também Vila Bela Da Santíssima Trindade, a primeira capital do MT.


O Leve Sem Destino faz parte de alguns programas de afiliados, isso significa que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados abaixo, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter.

 

Hospedagem | Aluguel de Carros | Seguro Viagem


Mônica Rodrigues

Leonina, brasiliense de alma e coração, graduada em Administração em Comércio Exterior e apaixonada por tudo o que envolve o ramo (apesar de não atuar nele). Tem verdadeiro fascínio pelo desconhecido. Acredita que pessoas se tornam melhores ao se depararem com o externo/ diferente, o que foge da “bolha”. Se sente em paz ao viajar e carrega consigo seu namô e sua família pra onde quer que vá.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × quatro =