Bolívia, o que saber antes de ir

Eis que chega aquele momento que aguardei há tempos, desde o dia que colocamos nossos pés em La Paz. O trabalho psicológico para fazer um mochilão no país começa antes de você ver seu passaporte carimbado. Bolívia, o que saber antes de ir. Porque a gente quer te deixar preparado(a) para saber lidar com possíveis (e prováveis) situações difíceis.

Esse post é especial. Não apenas por ser uma introdução ao país, o que é a essência boliviana; como por ser nossa publicação de número 100!!! São 100 textos! Muito aprendizado e esforço por parte do casal aqui, que faz de tudo para passar a frente o que deu certo (e o que não deu tão certo assim..rs). O Leve Sem Destino fez 3 anos! Nós temos CEM posts publicados, especialmente para você, querido leitor! 😍

 

Voltando ao tema do texto, é chegada a hora de adentrarmos de forma mais profunda o território boliviano. Falar sobre a Bolívia não é das tarefas mais fáceis, assim como não é fácil se aventurar pelo país. É perfeitamente compreensível que algumas pessoas não pensem em se arriscar por aqui, pois as chances de perrengue estão por toda parte. Posso até parecer  cruel ao afirmar que não tem como você atravessar esse vizinho sem passar algum aperto. Ao menos um trânsito caótico você vai pegar (e perder um bom tempo nele).

Mas como eu sou dessas que gosta de dar nó na sua cabeça, saiba: a Bolívia guarda natureza, figuras, paisagens, história para país nenhum no mundo botar defeito! Os extremos aqui estão por toda parte, entre belezas e pobreza; semelhanças e diferenças. Tão extrema, que até a Capital mais alta do mundo está aqui.

 

 Bolívia, o que Saber Antes de Ir – Sobre chegar em La Paz

Ainda era escuro quando nosso ônibus da Todo Turismo estacionou, mas não demorou até os primeiros raios solares nos apresentarem parte da cidade. No local onde o veículo para não há rodoviária, ou sequer, um estacionamento. Havia apenas um espaço dividido entre outros ônibus, passageiros e diversos taxistas. Uma zona. Foi esse o cenário de boas vindas à Capital. Tudo dentro do esperado.

Nós já estávamos parcialmente preparados para o que nos aguardaria em territórios bolivianos. Lemos muitos relatos e tomamos nossas precauções a fim de minimizar possíveis perrengues e, graças a Deus, tais cuidados funcionaram. Além disso, contamos com uma parcela de sorte.

Como vocês sabem, chegamos a La Paz vindos de Uyuni. A Travessia foi a coisa mais-maravilhosa-fenomenal-paradisíaca-sensacional-e-inacreditável de todos os tempos. E ainda que eu use todos os adjetivos que minha mente é capaz de trazer ao ‘papel’, nem assim conseguiria definir o que foi essa vivência com precisão.

 

Funciona como essa foto. Por mais que nos esforcemos para trazer à lente o registro mais fiel, nada, nenhuma imagem traduz a imensidão. O contraste de belezas surreais.

Ainda assim, saiba que a Bolívia é, dos países pertencentes ao Mercosul, um dos mais pobres e de condições mais precárias. 

E sobre La Paz, a capital federal da Bolívia: é a metrópole que ergueu-se em meio a cordilheira dos Andes. São nada menos do que 3640 metros acima do nível do mar, na parte mais baixa (chegando a 4090 metros no pontos de maior altitude, ainda dentro da zona urbana).

Em nosso primeiro dia em La Paz fiz algumas notas para me ajudar com esse post.

 

Bolívia, o que saber antes de ir – As primeiras impressões

1 – País que lembra muito o caos da Tailândia (no trânsito) – só que piorado. Maluco e muita buzina!
2 – Em La Paz há uma infinidade de feiras. Nelas os bolivianos vendem de tudo! Vimos: carnes, pães, papel higiênico (unidade), meias, artigos de higiene pessoal e objetos de bruxaria sendo vendidos ao ar livre.
3 – Há muita pobreza. Em níveis extremos.
          –  Cenas que mais chocaram: idosa dividindo comida na panela com um gato filhote;
          –  Chola embaixo de uma lona, no Centro da cidade (onde o frio é extremo).
4 – Diferente dos tailandeses, ou dos próprios brasileiros, que tem fama de, no geral, serem sorridentes e solícitos, os bolivianos são “indefiníveis”. Pelo menos na capital política, La Paz. Lá, ao necessitar de alguma informação/ajuda, ou até mesmo para saber o preço de algum produto exposto, você pode topar com alguém que te dê respostas curtas – sem nem sequer disfarçar a cara de apatia. Ou ainda, ser ignorado solenemente (aconteceu conosco..rs).  Mas o contrário também vale. Há muitos(as) nativos sorridentes e dispostos a ajudar .

 

Esse post serve especificamente para te ajudar a minimizar os possíveis perrengues que você possa vir a passar no país. Nosso “Bolívia, o que saber antes de ir” tem o intuito de alertar. 

De acordo com o próprio Portal Consular Brasileiro, cidadãos do Brasil devem viajar à Bolívia com grau moderado de cautela.

 

Bolívia, o que saber antes de ir  – Dicas importantes 

 

1 – Bolívia, o que saber antes de ir – Entrada no país

Os documentos exigidos pelas autoridades migratórias bolivianas são o passaporte ou documento de identidade emitido pelos órgãos de registros estaduais ecom validade menor que 10 anos. Não são aceitos como forma de identificação CNHs ou carteiras emitidas por entidade de classe.  Para menores desacompanhados, é necessário portar autorização legalizada. Ao ingressar no país, agentes migratórios podem exigir a apresentação de cartão de vacina contra febre amarela.

 

2 – Bolívia, o que saber antes de ir – Seguro saúde
  • Repita comigo: “eu jamais viajarei para outro país sem pagar um seguro saúde”. Por que? Se aqui tá ruim pra você, imagina lá fora!
  • Já li vários relatos de quem passou apuros por não ter seguro saúde (ou não ter um seguro BOM de verdade). Tomei a liberdade de compartilhar um deles aqui –  relato de Marcelo Soares. Não aconteceu na Bolívia, mas ainda acredito que seja válido como alerta, ok?

 O Leve Sem Destino é parceiro do Seguros Promo, isso significa que se você fizer seu seguro viagem por esse link, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter. Faça uma cotação sem compromisso! 😉


3 – Bolívia, o que saber antes de ir – O famigerado mal da altitude

O mal da montanha. A menos que você já esteja devidamente aclimatado ( tenha vindo dos vizinhos e passado por altitudes semelhantes), é quase impossível que você coloque seus pés em La Paz e saia ileso, afinal são nada menos do que 3640 metros acima do nível do mar.

  • Sintomas: Dores de cabeça, Tonturas, enjoos, aumento da frequencia cardíaca (taquicardia) e respiratória.
  • Soluções: Chegar por Sucre (a capital constitucional ), que está mais baixa, a 2810 metros. O que não garante que tais sintomas não sejam sentidos, mas sim, que não venham com tanta força. A outra opção, é rezar… ops! rsrs. É, pessoal! Chegando por La Paz eu acredito que o viajante deverá estar preparado.
  • Para aliviar:
    Muita água
    . Mas muita mesmo! Pelo menos 2,5 litros por dia.  O corpo hidratado responde bem a essas diferenças climáticas.
    Mascar folha de coca. Tá aí uma coisa que não aprendi (mas também não fiz esforço para isso). O ato de mascar as folhas da planta deverá ser levado ao pé da letra: mastigue bem, fique chupando até sair a seiva, sem parar, como um ruminante faz. 🐮
    Soroche Pills. Talvez a opção mais certeira. Onde o alívio/resultado venha mais rápido. As pílulas soroche são encontradas facilmente, em qualquer farmácia.
    Remédios tradicionais. acredito que a maior parte de vocês, nossos leitores, estejam acostumados a levar uma farmacinha. Mas pelo sim, pelo não, tenha sempre: neosaldina, dramin, floratil, entre outros medicamentos populares*
    Cuidado com a automedicação. 🚨
    Oxigênio? Não sei se seria uma boa. Caso você passe muito mal, acione o seguro (como falamos ali em cima, jamais faça uma viagem internacional sem seguro. Especialmente em se tratando da Bolívia, ok!!!?)

 

4 – Bolívia, o que saber antes de ir – Como me comportar

Além de toda uma preocupação em manter-se devidamente hidratado, evite fazer esforço físico e movimentos bruscos. Era comum sentirmos tonturas e até dores de cabeça enquanto estávamos no Atacama. Então caminhar de forma ritmada, tranquila e sem forçar seu corpo vai ajudar bastante. Acredite.

Se você pretende fazer trilhas mais puxadas, logo nos primeiros dias, evite o consumo de álcool. E mesmo após aclimatado, exagerar nos drinks pode estragar muito seu passeio. #CalmaCara.

Também é comum sentir um desconforto/descompasso no sistema digestivo. Pode ser que seu organismo trave ou libere mais do que você está habituado .

Em casos mais graves o “bagulho pode ficar louco”, entende? rs… é pra rir, mas é sério. E na boa, antes de se aventurar por essas bandas elevadas, dê uma passadinha no ‘dotô’ cardiologista, tá? (se possível. Se não, vai na fé mesmo).

 

5 – Bolívia, o que saber antes de ir – Intoxicação alimentar

“Deve-se evitar comer em barraquinhas de comida nas ruas e tomar cuidado com o preparo de alimentos nos restaurantes para evitar infecções estomacais e outras doenças. A probabilidade de intoxicação alimentar no país, devido à ausência de cuidados básicos de higiene no manuseio de frutas e demais tipos de alimentos, é alta. Cidadãos brasileiros devem levar ao país anti-ácidos e remédios para diarreia e dores estomacais” (Portal Consular). Olha gente, uma excelente fonte de pesquisa para conhecimento e precaução, com informações valiosas de qualquer país são os Sites Oficiais, especialmente este.

 

6 – Bolívia, o que saber antes de ir – Endemias (uso de repelentes)

Nem vou me dar o trabalho de repassar a informação de forma diferente, pois o Portal Consular já fez isso de forma simples e direta: “Por ser um país localizado em região de clima tropical, há várias enfermidades endêmicas na Bolívia, como malária, leishmaniose, amebíase e hepatite “B”. Há registro de dengue em toda a área leste da Bolívia, incluindo a cidade de Santa Cruz. O número de casos tem aumentado desde 2007. O país tem alto registro de febre amarela e vacina contra a doença pode ser necessária para ingresso em território boliviano.” Mais um detalhe sobre a Bolívia, o que saber antes de ir: em nenhum momento nos pediram o Certificado Internacional de Vacinação

 

7 –Bolívia, o que saber antes de ir – Manifestações e bloqueios nas estradas

Nas estradas do país é comum haver manifestações e bloqueios das principais vias. Isso inclui até a rota que passa pela Travessia do Salar de Uyuni. Nessas situações, os viajantes podem passar horas (ou pasmem, dias!) aguardando os manifestantes liberarem o caminho.

Como sou adepta à frase: “dos males, o menor”, geralmente não há violência durante as paralisações.

 

8 – Bolívia, o que saber antes de ir – Trânsito e Táxis

Trânsito: Nesse ponto, a capital boliviana é um caos. Só não conseguiu superar o da capital peruana, em questão de barulho. Ambos os países testam ao máximo a capacidade das buzinas dos veículos.

Táxis: Tenha sempre o mapa de onde você está e para onde vai no celular, isso te dá uma noção de valores. Também use seu poder de barganha. Nossa experiência com taxistas na Bolívia foi bem tranquila (ainda que os veículos quase sempre estivessem em situação deplorável).

 

Uma coisa que nos deixou apreensivos foram as estradas. Especialmente após descermos a Estrada da Morte. De noite, já exaustos por conta dos mais de 50 km descendo montanha, nosso motorista parecia apressado demais. A van em si não era algo que podemos chamar de potente, mas nosso condutor fazia cada ultrapassagem… armaria! Isso, aliado ao fato de não termos disponível os cintos de segurança (oi? Isso mesmo!).

 

Vou me aprofundar um pouco mais nesse assunto quando o post desse p*ta dia sair! Foi uma das experiências mais sinistras e fantásticas. Adrenalina do começo ao fim – até dentro da van. 

 

Bolívia, o que saber antes de ir – Resumo final

De nada adianta colocar o terror na sua cabeça todo esse alerta se não chegarmos com soluções, não é mesmo? Ou ao menos uma lista de precauções. Parte delas já conta em cada tópico. Mas pra reforçar:

Leia esse post. OBVIO, para saber o que pode dar errado! Hehehe..

Só beba água engarrafada.

Cuidado ao se alimentar (busque estabelecimentos confiáveis. Uma pesquisa no TripAdvisor ajuda muito).

Nós sempre fazíamos nosso desayuno e almuerzo no Tia Gladys. Já a janta foi, por duas noites, na Pizzaria Mozzarella.

Leve repelentes. Preferencialmente o com icaridina na composição.

Álcool em gel, não esqueça jamais desse item de sobrevivência!

 

Dica extra: Se você pretende fazer a Travessia do Salar de Uyuni da forma oposta a que fizemos (Uyuni –  Atacama), saiba que seu tour passará por altitudes de quase 5 mil metros. Logo, todas essas recomendações deverão ser levadas ainda mais a sério.

Pesquise se na sua cidade existe o especialista Médico do viajante. Eles fazem parte da rede pública de saúde (SUS), e te atendem conforme agendamento. Nós fomos no Dr. Luiz Fernando Carvalho. Ele atende no HRAN (Hospital Regional da Asa Norte), e super te orienta. Inclusive, boa parte dessas dicas são dele, passadas para nós.

Quem sofreu com o Mal da Altitude na capital boliviana foi a Tissiana Souza, do Blog Rodas Nos Pés. Nesse link ela detalha bem o que passou. #tadinha

 


É pessoal, muitos detalhes a serem levados em consideração, hein? Mas tirando os defeitos o vizinho andino é só qualidade. E bota qualidade no pacote! Agora que você já tem as informações completas sobre a Bolívia, o que saber antes de ir, vai vendo o que temos para você: nada menos do que o nosso roteiro + dicas sobre o que fazer no país. É o próximo post. Aguenta um pouco!!

 

#VivaLeve


sudeste asiatico, por onde comecar - tailandia - laos febre amarela - anvisa

O Leve Sem Destino faz parte de alguns programas de afiliados, isso significa que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados abaixo, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter.

 

Hospedagem | Aluguel de Carros | Seguro Viagem

Gif por Marco Martina


Mônica Rodrigues

Leonina, brasiliense de alma e coração, graduada em Administração em Comércio Exterior e apaixonada por tudo o que envolve o ramo (apesar de não atuar nele). Tem verdadeiro fascínio pelo desconhecido. Acredita que pessoas se tornam melhores ao se depararem com o externo/ diferente, o que foge da “bolha”. Se sente em paz ao viajar e carrega consigo seu namô e sua família pra onde quer que vá.

4 comentários em “Bolívia, o que saber antes de ir

  • 9 de outubro de 2018 em 08:43
    Permalink

    Quero mesmo muito ir na Bolivia!!Fiquei com dicas super interessantes com o seu artigo.

    Resposta
  • 9 de outubro de 2018 em 01:18
    Permalink

    Que legal. Bolívia tá aqui do lado, mas ainda é pouco visitado né? E quando visitam, mta gente vai pro Salar e/ou lago Titicaca, mas passa correndo pela capital hehehe. Gostei da 1a foto super colorida! Não era a imagem que eu tinha de lá.

    Resposta
  • 8 de outubro de 2018 em 22:02
    Permalink

    Adorei as dicas! A Bolívia está nos meus planos há muito tempo e com certeza o post ajudou muito! Ah, e parabéns pelos 3 anos e pelo centésimo post =)

    Resposta
  • 8 de outubro de 2018 em 18:18
    Permalink

    O que mais tenho receio em lugares de grande altitude é passar bem mal e não aproveitar a viagem! Nossa, mas as dicas foram ótimas, assim posso me preparar quando chegar a hora. Sou louca para ir em Machu Picchu no Peru. Até acho q Bolívia interessante, mas pesou essa questão da pobreza, bem triste 🙁 seu relato me fez rever essa questão para quem sabe fazer um roteiro para o país.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *