O Que Fazer em Caraíva: O Guia Completo

Bem vind@s ao lugar que não existe no planeta terra. É uma miragem, uma mentira, fantasia da sua mente. Onde a paz e o silêncio reinam. Aqui, as emissoras de TV não são bem vindas. Ela está longe dos holofotes e é para poucos afortunados. Àqueles que realmente querem embarcar em um delírio. Nessa pequena vila você tem a certeza de que morreu e foi para o paraíso. Bem vindos a Caraíva.

Suas casinhas coloridas, chão de areia, ausência de iluminação pública e de veículos motorizados e também a elevada rusticidade dão um toque especial e apaixonante. Isca perfeita para quem curte o contato rio/mar e natureza. A proposta de desconexão também é reforçada pela quase inexistência de sinal de celular.

Saiba que: Caraíva é uma península. Nela há o encontro do Rio Caraíva com o Oceano Atlântico. Para chegar é necessária a travessia do rio, de canoa.

ONDE SE HOSPEDAR EM CARAÍVA?

Em Caraíva, estivemos hospedados no Pousada Aroeira, um excelente custo-benefício. Nosso quarto era bem equipado, além de ser uma gracinha. A Pousada Aroeira Caraíva oferece ainda um café da manhã caprichado. Teve até cuscuz quentinho. O anfitrião, Jonny, e sua charmosa cachorrinha Arô são um presente a parte. Fazem tudo pra te agradar. 😀

 

História de Caraíva

Caraíva é mais uma cidade que faz parte da chamada Costa do Descobrimento, no litoral sul da Bahia.  Pertencente a Porto Seguro, foi inicialmente habitada por comunidades indígenas pataxó, que tiveram o primeiro contato com o homem português em 1500

Diversas fontes afirmam que o primeiro território avistado pelos colonizadores foi Porto Seguro. Mas Juliano,  que é descendente direto dos povos indígenas e bugueiro que nos levou à Ponta do Corumbau disse que, na verdade, a primeira terra avistada teria sido o Monte Pascoal, que faz parte da APA Caraíva/Trancoso.

Porto Seguro foi então escolhida – e assim batizada – pela questão da visibilidade para o mar. Porém, não foi necessariamente a primeira terra pisada pelos portugueses. 

Os habitantes do pequeno vilarejo sobreviveram, por muitos anos, da pesca. Por ser uma península, o acesso à chamada Velha Caraíva dá-se quase que exclusivamente de barco

 

Como Chegar em Caraíva

Avião

O aeroporto mais próximo de Caraíva é o Aeroporto Internacional de Porto Seguro, distante 70 km. A partir dele o viajante deverá optar por carro alugado, ônibus, táxi ou transfer.

Carro

Caso o viajante opte por alugar um veículo, os modelos mais altos são recomendados, pois parte do percurso é feito em estrada de terra. Há trechos bem ruins

Dica: Na região do Extremo Sul da Bahia, existem muitas praias e cidades próximas que vale muito a pena conhecer. Alugue um carro e conheça-as por conta própria!

 

Saiba

Alugar veículo não é uma opção muito vantajosa se seu destino for apenas Caraíva. Como mencionado anteriormente, carros não entram na vila, dessa forma você deverá deixá-lo no estacionamento à beira do rio Caraíva, no valor de R$ 20 (dez/2019).

 

Ônibus

A opção mais econômica para chegar em Caraíva. A companhia que faz o percurso até Caraíva é a Viação Águia Azul. Ela parte da balsa, em Arraial d’ Ajuda, 3 vezes por dia. Caso você esteja em Porto Seguro, é recomendável pegar um Uber até a balsa, atravessá-la e então comprar os tickets para a viagem.

 

Horários: 07, 12 e 15:30 hrs;

Distância aproximada: 60 km;

Tempo médio de viagem: 3 horas;

Valores: Nós pagamos R$ 21 por pessoa (dez/2019).

Van

Não sei precisar os horários das vans, mas pouco antes de pegarmos o ônibus – meio dia – passou uma oferecendo. Quase fomos, porém já não havia mais vagas para eu e Fábio.

Tempo médio de viagem: 1,5 horas;

Valores: R$ 30 por pessoa (dez/2019).

Táxi/Transfer

Vale a pena pagar um transfer, caso você esteja em grupo ou família, assim a viagem pode ser dividida entre os membros. Nesse caso, os valores variam entre R$ 300 e R$ 450. Por lá mesmo pegamos uma recomendação, o contato do Zé Mecânico: (73) 9971 – 6890. 

 

Observações

A balsa que faz a travessia Porto Seguro – Arraial d’Ajuda sai de meia em meia hora e custa R$ 5;

As opções de ônibus e van não são algo que podemos chamar de confortáveis. No primeiro caso, apesar do ônibus ser interestadual, não há opção de  executivo (quiçá, leito), então a viagem é em ônibus antigo, sem ar-condicionado e muito lento. Já no segundo, o quesito segurança é algo a ser pensado. Além do mais, as vans costumam trafegar bem cheias.

 

Distância de Curuípe a Caraíva: 21km;

Distância de Trancoso a Caraíva: 36km;

Distância de Arraial d’Ajuda a Caraíva: 54km;

Distância de Curumuxatiba a Caraíva: 132km;

Distância de Itacaré a Caraíva: 406km;

Distância de Morro de São Paulo e Boipeba a Caraíva: Mais de 600km;


Ao chegar na Nova Caraíva, você terá de atravessar de barco até o ponto de interesse, a Velha Caraíva. Caso esteja com veículo, o mesmo deverá ficar no estacionamento.

 

Valores para entrar em Caraíva

Travessia de barco: R$ 5;

Estacionamento: R$ 20 para carros; R$ 30 vans e R$ 10 motocicletas;

Taxa de manutenção da vila – opcional: R$ 10.


Onde Ir em Caraíva

 

O que Fazer em Caraíva

Muita gente acaba optando por chegar em Caraíva em um bate-volta partindo de Porto Seguro, o que penso ser um enorme desperdício de oportunidade de conhecer a vila e ter uma experiência infinitamente mais proveitosa. 

Praia em Caraíva não se restringe à que circunda a vila, ou ao encontro dela mesma com o rio Caraíva. Não é só aqui que está o atrativo principal. Caraíva tem outras três praias próximas e diversos pontos de água doce para um refrescante banho!

Tem também todo o charme da vila. Tem pastel de arraia, forró e “sambinha na esquina”. Caraíva é para quem é apaixonado pela natureza, pelas diferentes formas de vida e por si mesmo. 

 

Praias de Caraíva

Beira Rio Caraíva/Praia da Barra

O atrativo mais acessível, tanto para quem vem no esquema bate-volta, quanto para quem está hospedado na vila de Caraíva e não quer andar muito. Esse é o ponto onde o rio Caraíva se encontra com o mar

Vantagens

Além do fácil acesso, aqui você pode tomar banho de água doce ou salgada. A escolha é sua. Dá para aproveitar a maré baixa e atravessar para o outro lado andando – mas leve dinheiro para voltar, caso o rio tenha subido. Os barqueiros aqui também cobram R$ 5

 

Outra vantagem é a proximidade com as barraquinhas que oferecem cervejas, drinks, sucos e petiscos. 

Desvantagens

Para mim, esse é um dos pontos mais caros para pedir qualquer coisa. Eles não cobram aluguel das cadeiras, mas sim, consumação mínima. Aqui a latinha de cerveja chega a custar R$ 10

Dicas
  • O chamado Beira Rio é excelente para quem deseja admirar um belo pôr do sol. Quando estivemos lá,  havia algumas nuvens, mesmo assim conseguimos relaxar e sentir a vibração do ambiente.
  • Para driblar o alto preço cobrado nas barracas, você pode passar no Mercado do André – o mais barato da vila e ainda oferece isopor – e comprar suas bebidas/petiscos, providenciar uma canga e procurar por um cantinho na areia para permanecer. Mas torça para o sol não estar forte, ou opte por ir no fim do dia, pois nesse ponto específico não há muitas árvores

 

Recomendação

Das duas vezes que fomos à Beira Rio ficamos na Barraca do Ivanildo Cabana do Júnior é o nome oficial. Um baiano que mora em São Paulo, mas vira e mexe vai a Caraíva para ajudar o primo, dono do quiosque. Lá eu experimentei uma deliciosa caipirinha de abacaxi e gengibre. Sério, muito boa! O segredo estava na cachaça Busca Vida; e claro, no preparo.

 

Praia de Caraíva

O restante da faixa de areia que segue após o encontro rio/mar é a chamada praia de Caraíva. Na maré baixa, o encontro do rio com o mar deixam a coloração mais escura. Já na maré alta, ela se torna verdinha.

Por não conter arrecifes, a praia que circunda a vila possui ondas mais agitadas. O local mais badalado aqui é o Bar da Praia, que serve drinks e petiscos. 

 

Praia do Satu

Praia mais distante. Para visitar a praia e as lagoas do Satu, você deve se direcionar até a Beira Rio, fazer a travessiaa pé ou de barco – e caminhar coisa de 3,5 km pela orla. Ao final desse percurso, virando uma “esquina” repleta de mata e pedras, aparecerão os quiosques.

Nós escolhemos o Satu Beach Club para curtir aquele dia. Observamos a forma como a estrutura do local foi montada, respeitando a natureza existente e nos encantamos.

O Satu Beach Club oferece sucos naturais de fruta e polpa, drinks saborosíssimos, petiscos e menu executivo. A consumação mínima quando fomos era de R$ 100 para mesinhas mais baixas com esteiras e R$ 150 para o lounge com poltronas maiores. Como estávamos em 4 pessoas, foi tranquilo dividir os valores.

 

Vantagens

Após caminhar mais de 3km, nada mais justo do que tirar algumas horas para curtir a praia do Satu ao máximo. Bem em frente ao Satu beach Club há uma piscina natural, que surge na maré baixa. Mais adiante, há outras 3 piscinas naturais.

Além delas há ainda 3 lagoas. Para conhecê-las, basta seguir a caminhada. Se você optar por seguir até a última lagoa, seu percurso andando será de 1,2 km. Ou seja, caminha-se bastante para conhecer bem a Praia do Satu, as piscinas e as lagoas. O visitante deverá estar atento ainda a Tábua de Marés, para curtir as piscinas. 

Desvantagens

Apesar de existir bastante sombra na orla do Satu, não recomendo que você traga seu isoporzinho, pois caminhar na areia carregando peso não é uma tarefa fácil. Aqui, menos é mais. Traga apenas canga, protetor solar e repelente. Não esqueça de usar um boné, pois ficamos muito expostos no percurso. 

Vale a pena conhecer a Praia do Satu?

Se você reparou bem, para conhecer a Praia do Satu por completa, andamos mais de 10 km, considerando a ida partindo de Caraíva até a última lagoa e voltando. Não fizemos o trajeto de uma vez só. Nós paramos no Satu Beach Club, tomamos o primeiro drink, fizemos fotos e seguimos até as lagoas.

Confesso a vocês que a parte difícil mesmo é sair dessas lagoas de água doce, formadas pelo mangue. Gente, a água delas é muito gostosa! A segunda lagoa é a mais agradável de todas.

Então a resposta é: com certeza! Uma praia linda em um local mais reservado, falésias belíssimas, paisagem exuberante, aqui tem demais!

 

Dica

Para curtir de verdade essa visita às lagoas do Satu, chegue à primeira e procure um canto que contém argila natural – sim, aqui você pode curtir uma hidratação de lama. Após se besuntar passar argila no corpo, vá até a segunda e curta o banho em si. Aproveite o tempo que der e volte ao quiosque.

Opinião sincera: não vale a pena seguir até a terceira, pois ela é bem menor e o fundo é cheio de folhagem, não muito agradável de pisar. Só aqui você economiza 600 metros de caminhada

Agora, se você não gosta muito de longas caminhadas, vale a pena fechar uma lancha para te buscar ao final do dia, em frente a Satu Beach Club, ou ao quiosque que você escolher. Mas fazer esse trecho indo e voltando é possível para praticamente todo mundo. Nosso casal de amigos Mônica (minha xará) e Sérgio são da turma da terceira idade e fizeram o rolê completo

 

Curiosidade

Fazendo esse mesmo percurso, seguindo adiante, você chega à Praia do Espelho. A mais famosa praia da região Trancoso/Caraíva. Tida como uma das mais bonitas do Brasil. Mas atenção, o trecho é longo, cansativo e, pelo que vi, não muito sinalizado. Há partes onde você vai ter que atravessar o morro, então só recomendo ir com quem conheça bem o local. 

 

Ponta do Corumbau

Mais um tesouro escondido a sete chaves. Localizada em Corumbau, distrito de Prado, a cerca de 8 km de Caraíva, essa praia é comumente acessada em passeio de buggy ou lancha

Possui esse nome por se tratar de uma praia com banco de areia que forma uma ponta na maré baixa. Além disso, a água do mar concentrada antes dessa ponta se torna uma imensa piscina de águas calmas, mornas e super gostosas. Aqui a composição de barraquinhas simples, praia, barquinhos e vegetação formam o cenário digno de um quadro

 

O passeio

Nosso dia na Ponta do Corumbau foi o melhor de todos em Caraíva. Fechamos com o bugueiro Juliano, que é descendente direto de índios e negro africano. Ele foi super atencioso e solícito, parou para que o Fábio comprasse cerveja e gelo duas vezes…rs. 

Para chegar à Ponta do Corumbau de buggy, Juliano caminhou conosco da pousada até a Igrejinha de Caraíva. É nesse ponto que os bugueiros ficam concentrados. Eles são os únicos que possuem permissão para circular determinado trecho da vila

No caminho fomos apresentados ao Monte Pascoal, e foi o próprio Juliano que nos disse que ali teria sido o primeiro ponto avistado pelos portugueses. A vegetação durante o percurso é a primeira parte do atrativo, pois cruzamos uma APA e ainda passa por Barra Velha, uma Aldeia Indígena

 

Antes de chegar à Ponta do Corumbau, os buggys ficam estacionados e é necessário pegar uma canoa, por R$ 10 ida e volta. Atravessados, o bugueiro nos acompanha até as barracas. Gostamos muito da cabana que Juliano nos deixou – Restaurante Sol e Vida; pois não havia taxa mínima de consumação

Nosso dia foi perfeito do começo ao fim. Fábio pode tomar a cerveja dele tranquilamente, enquanto eu provei os drinks e, ao final do dia, pedimos uma porção de peixe. Os preços nessas barraquinhas eram bem inferiores aos cobrados em Caraíva

 

Curiosidade

Essa Aldeia Pataxó não é como os modelos de aldeias tradicionais, mas uma vilazinha estruturada.

Por falhas técnicas, nós infelizmente perdemos o contato do Juliano (snif). Mas vamos deixar outro, do João, que também é descendente direto dos povos indígenas. Ele nos levou até a Prainha, a segunda parte do passeio à Ponta do Corumbau, bem perto de Caraíva. Falo sobre esse lugar lindo mais abaixo. 

Contato João Nezito: (73) 99872 – 3037.

 

Praia do Espelho

Uma das praias mais bonitas e famosas do Brasil, podendo ser visitada a partir de Caraíva, Trancoso, Arraial da Ajuda ou Porto Seguro. Nossa intenção inicialmente era visitar a Praia do Espelho partindo de Caraíva, por conta da proximidade, mas mesmo sendo próxima, a logística não é fácil. Essa praia possui o acesso muito ruim, difícil até mesmo para quem está de carro. E caro para quem precisa contratar uma lancha.

Além do mais, a maré não estava baixa o suficiente para que compensasse. A Praia do Espelho só é belíssima nos horários de maré baixa, sendo necessária uma programação para que o visitante não saia frustrado – até porque os valores cobrados pelos restaurantes dessa orla são tidos como exorbitantes. Enfim, não foi dessa vez, mas você pode sim se programar para curtir um dia incrível na praia do Espelho, partindo de Caraíva.

Observação: O mesmo ônibus da Viação Águia Azul para na Praia do Espelho, mas parte do percurso deverá ser feita a pé, um trecho de 1,5 km.


Onde Ir em Caraíva

 

O que Fazer em Caraíva Além das Praias

Centro Cultural de Tradições Indígenas

Localizada em Barra Velha, a Comunidade chamada Porto do Boi criou esse centro cultural no intuito de oferecer uma aproximação dos visitantes à cultura indígena Pataxó. Através desse tipo de experiência, o viajante tem contato com a história dos povos, pintura corporal, artesanato, participa de rituais, aplicação de rapé, banho com ervas e preparo/experimentação de comidas típicas

Nós, infelizmente, não ficamos sabendo desse tipo vivência a tempo. Soubemos por acaso, quando João – o bugueiro – nos contou. 

 

*Fotos retiradas do Instagram @portodoboi, mediante autorização prévia. Créditos aos fotógrafos vide legenda.

Horários das apresentações:
  • Segunda a Sexta: das 9h as 16h;
  • Sábado: de 9h as 13h.

Valores: R$ 70

 

Prainha

Parte do Rio Caraíva onde é possível assistir um pôr do sol digno de romance, juras de amor e – por que não? – pedidos de casamento. 🙂

A Prainha fica mais acima do rio. Aqui o pessoal chega para curtir banho de água doce e o descer do astro rei. Eu, particularmente, curti muito esse momento de banho ao redor dos manguezais. A água estava super agradável, o que é comum na região.

Entrada: free.

 

Boia Cross

Há ainda a possibilidade de fazer a descida do rio Caraíva de boia, em passeio feito com agências. Esse tipo de aventura é bem tradicional e recomendado para a maioria dos visitantes. Nossa próxima pedida quando regressarmos a Caraíva.

 

Bate e volta até Trancoso

Há ainda a possibilidade de fazer o bate e volta até a vizinha, Trancoso. Para quem não tem muito tempo disponível, ou não faz questão de se hospedar em Trancoso, essa é uma boa chance de conhecer o famoso Quadrado e voltar ao cair da noite.

 

A Vila de Caraíva

O simples ato de caminhar pela pequena vila da Velha Caraíva já é um atrativo a parte. Recomendo fortemente que você tire um tempo para “sentir” o vilarejo e se deixar ser abordado por um nativo conversador.

Observe também as cores e o reluzente tom azul traçado por Duca, uma artista de mão cheia. Suas casinhas coloridas, céu estrelado e capricho estão espalhados por todas as esquinas do vilarejo. Até mesmo nas pousadas.

 

E claro, não deixe de se programar para as fotos em frente a casa mais famosa de Caraíva. Ela fica perto do Boteco do Pará, seguindo em direção a rua dos restaurantes, primeira a esquerda, lá na frente.


Onde Ir em Caraíva

O que Fazer em Caraíva a Noite

Beco da Lua

Animação, música ao vivo, comes e bebes; em um espaço que é perfeita maquete gigante das antigas casinhas da vila. Quando estivemos por lá, a banda cantava Reggae e Brasilidades.

 

Forró do Pelé

Dizem ser o melhor forró de Caraíva, e é bem capaz que seja mesmo, pois os nativos diziam ser uma opção imperdível. Infelizmente, o valor cobrado para visitantes não nos animou muito, mas se você gosta de levantar poeira, fica aqui a sugestão.

 

Ingresso: R$ 40 (Nov 2019)

Dica: Tem ainda o Forró do Ouriço. Deste, não ouvimos falar muito, mas vale a pena se informar por lá.


Onde se Hospedar em Caraíva

 

Onde Ficar em Caraíva

Pousada Aroeira Caraíva

Nossa escolha na pequena vila, não poderia ser mais acertada!

Localizada a apenas 8 minutos de caminhada do Porto das Canoas (local onde atracam os barcos). Essa charmosa pousada acomoda famílias, casais e viajantes solo.

Nosso quarto era bem equipado, além de ser uma gracinha. A Pousada Aroeira Caraíva oferece ainda um café da manhã caprichado. Teve até cuscuz quentinho.

Mas o melhor de tudo ainda está por vir: na pousada a gente encontra o Jonny e a Arô. O primeiro é o anfitrião da casa. Nos recebeu muito bem e passou todas as dicas para os melhores passeios, já a Arô é essa criatura gostosa da terceira foto. Ela entra embaixo da cama e fica lá atééé cansar..rsrs.

 

A Pousada Aroeira Caraíva foi escolhida por nós como parceira nessa viagem por conta das boas avaliações, mais a junção custo-benefício excelentes! Nosso quarto era simples, mas equipado com ar condicionado, frigobar, suíte, uma cama de casal e outra de solteiro, mesa de cabeceira, e um armário.

 

 

O café da manhã na Pousada Aroeira Caraíva esteve sempre uma delícia. Enquanto estávamos lá nos serviram desde o tradicional pão de sal e café, até cuscuz, bolinho de chuva e banana caramelizada. Esta última de comer agradecendo!

 

 

Vantagens

As vantagens em estar nessa pousada vão desde de tudo o que mencionei aqui, até a simples existência da Arô. Sério, a Arô é uma cachorrinha muuuito charmosa. Um amor! Rolezeira de plantão, ela topa passear com os visitantes da pousada, só é bom levar na coleira porque as vezes ela se empolga com outros cães e sai correndo para brincar

Desvantagens

Enquanto estávamos em Caraíva a pousada passava por reforma, o que nos trouxe um problema com falta d’água em uma das noites. Mas no dia seguinte, tudo estava ok de novo. Jonny resolveu.

Outra grande desvantagem é ter que ir embora. Você não faz ideia do quanto eu sofri ao ter que me despedir da Arô. #DramaQueen


Onde Comer em Caraíva

Onde Comer em Caraíva

Um vilarejo baiano, rodeado por águas doces e salgadas, não poderia oferecer como carro chefe outra coisa se não peixes e frutos do mar dos mais variados. Além, claro, da tradicional moqueca baiana. Caraíva, apesar de ser pequena vila guarda uma boa variedade e oferta gastronômica. Não é barato, mas a gente faz um filtro..rs

 

Padaria e Restaurante do Pelé

Caso você não tenha café da manhã incluso em sua hospedagem – até porque também há camping/hostel em Caraíva; essa padaria é uma boa pedida. Nela são servidas vitaminas, pães, lanches em geral, além de porções, refeições e drinks. Tem tudo, e o preço é acessível. Vale destacar também o atendimento, que foi nota 10!

Boteco do Pará

Cerveja gelada e o famoso pastel de arraia, temos! O Boteco do Pará é um restaurante bem famosinho na vila de Caraíva, e não é para menos. O pastel de arraia servido aqui é realmente uma delícia! Outro sabor de pastel provado e aprovado é o de queijo canastra com doce de leite. Hummmmm!!

 

Vantagens

O Boteco do Pará é estrategicamente localizado a poucos passos da Praia da Barra, sentido rua dos restaurantes. É muito fácil encontra-lo, mesmo sem querer, você chega nele.

Desvantagens

Fecha cedo. Nas duas vezes que fomos, pegamos o espaço prestes a fechar, as 19hrs.

 

Média de Preços

  • R$ 16 uma Brahma 600ml;
  • R$ 12 um pastel de arraia com queijo. 

 

Cantinho Mineiro

Porções fartas e bom atendimento. Nesse restaurante é possível matar a fome a um custo justo. Quando almocei aqui paguei R$ 40 no prato executivo, mas era bem caprichado.

 


Quando ir a Caraíva

Na Bahia é verão o ano inteiro. Coloque na sua cabeça que qualquer época é ideal para se estar nesse estado cheio de sol e calor. Nós estivemos em Caraíva no final de novembro, mês considerado “tcharam”, chuvoso! E o máximo que pegamos foi uma noite com precipitações. Nada que atrapalhasse nossa programação.

Mas atenção: em Caraíva faz sol o ano todo, mas também chove a qualquer momento, mesmo em meses considerados de seca, como agosto. Mas nada que atrapalhe seus dias na vila.

 

Então qual a melhor época para ir a Caraíva, Monikete?

Para mim, qualquer uma que fuja da alta temporada, pois não sei se a vila comporta tanta gente assim. É uma fase crítica – fim de ano, réveillon, até meados de Fevereiro – e claro, os preços tendem a subir ainda mais.

 

Locomoção em Caraíva

Na pequena vila você resolve tudo a pé e isso é ótimo. Aqui, aquele velho conselho do menos é mais é fundamental. Primeiramente, porque você está em área de muito calor, sem luxos e nenhuma necessidade de trazer excessos.

Segundo, porque o único meio de transporte utilizado para levar coisas e pessoas dentro da vila é o JUBER. Sim, uma forma descontraída de fazer analogia entre o aplicativo de corrida e o jegue.

 

Nós, na ocasião, não usamos o transporte. Opinião pessoal: eu fico desconfortável com esse tipo de utilização do trabalho animal. Para mim o problema maior não é necessariamente o uso de cavalos/burros/jegues, mas sim, a forma indiscriminada e o excesso de peso que os mesmos têm de carregar.

Dica: Para facilitar sua vida, vá de mochilas. Malas de rodinhas não são viáveis em chão de areia.

 

O que Levar a Caraíva

Chinelo é o primeiro item a ir para a mala. Resolver tudo com um par deles é tudo de bom, gente! Mas não esqueça de ter também:

  • roupas de banho;
  • protetor solar;
  • repelente;
  • roupas leves – use a abuse do conforto de bermudas e vestidos;
  • lanterna – lembre-se da inexistência de iluminação pública;
  • remédios – só há uma farmácia em Caraíva;
  • bolsa impermeável – para garantir que nada vai sair molhado ao atravessar o rio;
  • dinheiro em espécie e cartão. Muitos estabelecimentos passam crédito/débito, mas não há onde fazer saques.

 

Óleo no Nordeste

Não só Caraíva, mas toda a costa da Bahia foi atingida pelo derramamento de óleo que começou em Fortaleza. Eu não poderia ser irresponsável de fingir que não nos deparamos com o petróleo derramando, pois seria uma mentira.

Fato é que o extremo sul do estado, que compreende as cidades de Porto Seguro, Arraial d’Ajuda, Trancoso, Caraíva,  Abrolhos entre outras; foram menos atingidas que as demais regiões – mas foram.

No caso específico de Caraíva, vimos de perto a atuação da marinha na limpeza e monitoramento da orla de todas essas praias mencionadas no texto. Nesse tempo, não ficamos sabendo de relatos de contaminação, seja por contato físico ou ingestão de frutos do mar.

Nós experimentamos de tudo, entramos em todas as praias – calango não pode ver água – e estamos aqui, inteiros. Agora, se de alguma forma você se sentir inseguro, há diversas opções de água doce, justamente para que ninguém aqui desista de conhecer esse paraíso lindo.


Afinal, vale a pena ficar em Caraíva?

Com certeza! Para mim o que não compensa é justamente fazer o bate e volta e perder a chance de experimentar tantas possibilidades e reconexão com o belo e natural.

Caraíva, você tomou de vez nosso coração. Uma vila que mescla o rústico e o chique. Uma simplicidade elitizada. Sim, pois os preços de comes e bebes são elevados. Há ainda uma galera hippie despojada por escolha, bem diferentes do modelo vendedor de artesanato que estamos habituados a ver. Mas esses são meros detalhes.

O melhor de Caraíva é o nativo. O “caraivano” te aborda quando você menos espera. Nós, Brasilienses, não estamos acostumados com isso, se você também não, comece a estar atento(a). “Ele” vai querer saber de onde você é, para onde está indo, se tá gostando.. assim, do nada. E no final vai te desejar um excelente passeio. Ou ainda, dizer que você é muito bem vindo. Vai soltar um “vocês são o melhor desse lugar. Vão com Deus”, olhando nos olhos e sorrindo.

A população local é composta por descendentes de índios e negros; também por uma parcela de brasileiros que saíram de suas terras em busca de melhor qualidade de vida – em um vilarejo minúsculo, onde a energia elétrica foi chegar só em 2007.

Caraíva é uma comunidade unida e fechada, que preza pela preservação de toda essa riqueza que ela está inserida. É, com certeza, um desses lugares encantadores que estivemos na vida. Destino que vale a pena visitar de novo.

Nos vemos em 2020, Caraíva.

 

Viva Leve <3

O Leve Sem Destino preza pela transparência com seus leitores. A hospedagem na Pousada Aroeira Caraíva ocorreu em forma de parceria, mas garanto que o relato é imparcial e pode ser reforçado pelos relatos dos viajantes nas plataformas Booking e TripAdvisor.


O Leve Sem Destino faz parte de alguns programas de afiliados, isso significa que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados abaixo, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter.

 

Hospedagem | Aluguel de Carros | Seguro Viagem


Mônica Rodrigues

Leonina, brasiliense de alma e coração, graduada em Administração em Comércio Exterior e apaixonada por tudo o que envolve o ramo (apesar de não atuar nele). Tem verdadeiro fascínio pelo desconhecido. Acredita que pessoas se tornam melhores ao se depararem com o externo/ diferente, o que foge da “bolha”. Se sente em paz ao viajar e carrega consigo seu namô e sua família pra onde quer que vá.

2 comentários em “O Que Fazer em Caraíva: O Guia Completo

  • 11 de fevereiro de 2020 em 12:44
    Permalink

    Mônica e Fábio, grato pelas informações sobre suas aventuras. Tudo maravilhoso e bem detalhado. Casal nota mil, parabéns parabéns por tudo.

    Resposta
    • 12 de fevereiro de 2020 em 13:45
      Permalink

      Marcelo, obrigada você!

      Tenho quase certeza que vc é nosso seguidor número 1 da página do face, certo?! rs
      Não esqueça de nos consultar quando comprar sua passagem e for montar o roteiro. Podemos passar dicas pontuais. 😉

      Abração!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Bahia, Brasil, Caraíva, Destaque
roteiro - 10 dias - alto paraiso - sao jorge - cavalcante - almecegas - parque nacional - santa barbara o que fazer - chapada dos veadeiros (7)
Roteiro de 10 dias na Chapada dos Veadeiros

Quantos dias são suficientes para conhecer a Chapada dos Veadeiros? Uma das perguntas que mais ouvimos. Sempre há alguém interessado

Fechar