O que fazer em Curitiba: O Guia Completo

Ahhh! – suspiros – a capital do Paraná. O primeiro questionamento que veio à minha mente quando estivemos nela, em novembro de 2018, foi: por que diacho só agora estamos conhecendo esse lugar!? Eu sempre ouvia falar da Capital paranaense quase que como “um Brasil a parte”. Uma cidade tão limpa, linda, organizada, estruturada; que não teve jeito, fomos confirmar e foi paixão desde o primeiro contato! O conjunto urbano, seus habitantes, o sotaque, tudo tomou nosso coração de um jeito, que como forma de retribuição, nasce agora o Guia Completo de O Que Fazer em Curitiba.

o que fazer em curitiba - dicas - erbbv - parana (55)
*A alegria de estar no Paraná. 🙂

*Registro de Camila Siqueira, Blog Pelo Mundo Com Você.

 

Estivemos em Curitiba para o Encontro da Rede Brasileira de Blogueiros de viagem (RBBV), da qual fazemos parte. O encontro (ERBBV), contou com muitos passeios, restaurantes e, claro, palestras. Aqui iremos, buscar as coisas mais interessantes desse evento e juntar a outras, as quais não conhecemos e/ou não tivemos oportunidade de conhecer ainda, mas são muito bem cotadas. Sejam todos bem vindos ao nosso post o que fazer em Curitiba.

Ainda não sabe onde se hospedar em Curitiba?

Durante nossa passagem, ficamos hospedados no Hotel Blumenau, um bom custo-benefício. Muito bem localizado no centro, a pouco mais de 3,5 km do principal cartão postal de Curitiba: O Jardim Botânico. Fica em frente ao Shopping Mueller. Ao seu redor encontram-se bares e restaurantes, e muitos dos pontos turísticos de Curitiba. O café da manhã é simples, mas atendia às nossas necessidades. Em nosso quarto, a cama era confortável ainda que as acomodações fossem modestas.


Reservando por esse link você nos ajuda a manter o blog e não paga nada a mais por isso! 😉

 


Nesse post você encontrará:


O Que Fazer Em Curitiba – Turismo Tradicional

 

Jardim Botânico de Curitiba

Gente, eu sou uma pessoa clássica. Na minha cabeça não dá para chegar à sobremesa sem passar pelo prato principal, e o Jardim Botânico de Curitiba é aquele ponto praticamente obrigatório em sua passagem pela cidade. É como ir à Paris e não conhecer a Torre Eiffel, ou visitar Brasília e não dar uma volta no Eixo Monumental. O Jardim Botânico de Curitiba é a imagem viva da Capital do Paraná. Eu não sabia direito o que encontraria por lá, mas sabia que esse ponto era certo.

O Jardim Botânico de Curitiba é uma bela pedida para uma manhã/tarde gostosa na cidade. Ele é imenso e impecavelmente bem cuidado. Sua principal estufa mantém espécies típicas da Mata Atlântica, mas o melhor dele é a vista que a parte interior proporciona.

 

Entrada Gratuita.

Saiba mais no site institucional Curitiba Turismo.

 

Parque Barigui

O parque mais frequentado pelos curitibanos é também um dos maiores da cidade. Com 1,4 milhão de m², nele há bastante espaço para prática de esportes ao ar livre, passear/brincar com crianças e um gostoso piquenique. Nesse parque há também restaurante, lanchonete e churrasqueiras.

Não conhecemos (ainda), mas por relatos e fotos pude perceber que é um parque cheio de vida. Natureza, animais e lagos compõem um perfeito cenário. Uma ótima ideia de o que fazer em Curitiba domingo de manhã, poe exemplo.

Entrada Gratuita

Saiba mais no site institucional Curitiba Turismo.

Obs: As famosas bicicletas e patinetes da Yellow já são encontradas por lá. Mais um motivo para você passar esse período de visitas em plena atividade..rs.

 

Parque Tanguá

Um parque be-lís-si-mo! Enorme, arborizado, com mirantes, espelhos d’água, pontes e duas torres unidas em uma bela construção peculiar. Durante a passagem do Encontro RBBV outros blogueiros estiveram nele, mas nós, infelizmente, ainda não tínhamos chegado em Curitiba. Ainda assim, não poderíamos deixar de indica-lo. Aqui, além de toda a beleza do espaço há duas partes que podem ser exploradas – chamadas alta e baixa. E a grande dica é: vá para curtir um fim de tarde e aproveitar o descer do astro rei.

Imagens gentilmente cedidas pela minha senhora Fora da Toca

 

Entrada Gratuita.

Há estacionamento.

É gente, poderíamos criar um post inteiro só detalhando os bosques e parques, pois são mais de 30 áreas de preservação e são excelentes opções de o que fazer em Curitiba domingo de manhã, por exemplo! Como ainda não conhecemos tantos, listei os que aparentemente são mais interessantes.

Gostei também da proposta do Bosque Alemão. Este com certeza estará em nossa wishlist (assim como estará aqui, complementando o post).

 

Ópera de Arame e Parque das Pedreiras

Imagina você se deparar com um teatro feito de tubos de aço, estrutura metálica e teto transparente; lembrando uma construção feita de arame. Seu piso aberto revela todo o enorme lago que faz parte da pedreira. O curioso aqui é caminhar pelos arredores da construção circular, tendo a sensação de estar “sem chão”. A Ópera de Arame possui capacidade para 1572 espectadores e recebe todo tipo de apresentação.

O Parque das Pedreiras é uma Unidade de Conservação Ambiental onde estão a Ópera de Arame e a Pedreira Paulo Leminski. Faz parte da composição do cenário um lago artificial e um bosque cheio da animais. Aqui, fora as apresentações, é possível tirar um tempo para ouvir música  instrumental ao vivo, vinda do palco flutuante. O projeto chamado de Vale da Música se apresenta de terça a domingo, das 10 as 18hrs.

Entrada: R$ 10.

 

 

O Que Fazer Em Curitiba – Tours

 

Tour comida de boteco

Uma forma digamos, inusitada, de fazer turismo gastronômico, experimentar diferentes drinks, petiscos e ainda fazer amigos! É um tour a pé que passa por 4 bares com degustação de, a grosso modo, comida de boteco!

O tour acontece sempre entre as quintas e sábados. Os roteiros variam, mas os bares ficam próximos uns dos outros – sendo tudo feito a pé. O tour custa R$ 80 (se comprado antecipadamente) por pessoa e dá direito a livre experimentação de petiscos. É uma excelente forma de conhecer os melhores bares de Curitiba, fazer amigos (no grupo e fora dele) e, portanto, é uma ótima pedida para o que fazer em Curitiba a noite!

Nesse, infelizmente, não pudemos estar presentes. No ERBBV, foram feitos os bares: Armazém Califórnia, Alchemia Bar, Garden Hamburgueria e Bar do Alemão – todos no centro histórico da cidade. Além desses citados, o tour pode ser feito em outros bares de outros bairros também participantes. Esse passeio é feito pela Carol Moreno, do blog Mochilão Trips. Saiba mais também no Site Tour Comida de Boteco.

 

Tour Curitidoce

É, não bastasse passar pelo Tour Comida de Boteco e querer experimentar todas as gordices gostosuras oferecidas, tomando todos os chopes and drinks, você ainda tem a oferta de se acabar em uma rota que podemos chamar de: doce. A proposta é uma verdadeira orgia gastronômica, né gente? rsrs…

Infelizmente não chegamos a tempo de fazer esse tour #tristezamodeon, mas outros blogueiros fizeram e sentiram sua criança interior ser devidamente adocicada. O Curitidoce passa por 5 docerias, que são visitadas a pé, em um tempo médio de 3 horas. Nele são servidos brownies, bolos, sorvetes e doces em geral. Eu ouvi falar de umas maçãs que só de imaginar minha boca encheu d’água.

No Encontro RBBV, o tour de degustação de doces foi feito pelos seguintes locais: Cuore di Cacao, Mary Ann Apple Factory, Kinkan Sweet e Bazar Doce Pâtisserie. No site mencionado você pode escolher entre vários roteiros bacanas. O preço é de R$60 por pessoa. Saiba todos os detalhes no FeriasNow.

Imagens gentilmente cedidas pelos nossos amigos do Blog Viajando na Janela

 

Obs: O Tour acontece sempre aos sábados, mas há a possibilidade de ser feito durante a semana, caso haja um grupo de, pelo menos, 5 pessoas.

 

City Tour – Linha Turismo

Facilidade e praticidade no seu roteiro! Uma linha de ônibus especial Double Decker que passa por 24 pontos turísticos. No Encontro RBBV 2018, o passeio no ônibus da Linha Turismo fez o itinerário: Jardim Botânico, Unilivre e Parque Tanguá. Mas, com a aquisição do cartão-transporte, no valor de R$50, você poderá conhecer muito mais, como: Mercado Municipal, Museu Oscar Niemeyer e Ópera de Arame. Pela Linha Turismo você conhece os principais parques e praças de Curitiba, podendo descer em qualquer ponto e pegar o próximo no decorrer de 30 minutos. O tour tem um tempo total (desconsideradas as paradas) de 3 horas, percorrendo aproximadamente 45 km. Saiba mais em URBS Curitiba.

o que fazer em curitiba - dicas - erbbv - parana (55)
Registro de um dos ônibus da Linha Turismo.

E aí, quais são seus pontos de parada? Desconsiderando os pontos de Curitiba que conhecemos, eu provavelmente optaria por: sair pela Praça Tiradentes (mesmo podendo iniciar por outro local), Rua 24 horas, Memorial Polonês, Bosque Alemão, Unilivre, Parque Tanguá, Memorial Ucraniano e Setor Histórico. Agora, se a gente iria conseguir passar em cada um desses, no período entre 9 e 17:30; eu já não sei…rsrs.

 

Visita à Arena da Baixada – Estádio do Athlético Paranaense

O Clube Atlético Paranaense abriu os portões de seu belo estádio, palco da Copa do Mundo de 2014, para receber os visitantes. Nesse passeio, até aquela pessoa que não gosta/não é fã de futebol, fica encantada. No tour guiado pelas dependências do Estádio Joaquim Américo Guimarães, você aprende sobre a história do clube, passeia pelas várias dependências e observa uma maquete eletrônica onde o teto retrátil* se abre. O Tour passa por pontos exclusivos que não são acessados pelo público geral, em dias de jogos. Fábio esteve com um grupo da RBBV nesse tour e voltou completamente pilhado. Fiquei sabendo que até chute a gol ele arriscou..rsrs.

As visitas ao estádio mais moderno do Brasil acontecem sempre de terça a domingo (incluindo feriados), em diferentes horários. Os ingressos custam R$ 20 a inteira, com preços diferenciados para estudantes, professores, idosos, doadores de sangue, portadores de deficiência e, os chamados sócio-furacão. Todos estes pagam 50% do valor.

Há também um serviço de visita guiada para ensaio fotográfico, podendo o interessado levar até 6 pessoas. Para mais detalhes acesse o site oficial do CAP.

 

* Isso mesmo, o Estádio Athlético Paranaense é o único da América Latina com teto retrátil. 

 

Passeio de Bicicleta KuritBike

A proposta da Kuritibike Cicloturismo Urbano, é a oferta de diferentes tipos de tours feitos em bicicletas que atendam a necessidade do visitante.  No site da atração você pode escolher entre vários roteiros como: o Coffee Bike Tour, no qual visitam-se algumas cafeterias especiais;  o Bike & Bar, em que você degusta algo mais alcoólico (rsrs); O Art Bike Tour, para apreciação de arte urbana; Bike Tour Fotográfico Noturno, cujo nome já é auto-explicativo; Bike Tour Botânico, focado em algumas praças, parques, Jardim Botânico e outros pontos; e o Tour Interparques, onde o ciclista pode conhecer diversos parques. Nos passeios estão inclusos seguro, água, capacete, assistência mecânica e outros.

 

Curitiba Free Walking – Walking Tour pelo Centro Histórico

Um projeto sem fins lucrativos, criado por dois turismólogos, e hoje apoiado por voluntários que sentem prazer e grande orgulho em guiar. Nessa iniciativa, o Centro e o Centro-Histórico de Curitiba foram os escolhidos para serem apresentados aos visitantes. O Curitiba Free Walking acontece sempre aos sábados, as 11 horas e tem duração média de 2 horas. Para encontrar o guia, dirija-se até a escadaria da UFPR, na Praça Santos Andrade.

Esse Tour foi oferecido para alguns membros do Encontro RBBV 2018, pelo Instituto Municipal do Turismo. O Ponto de encontro foi no Instituto de Turismo de Curitiba, Praça Garibaldi;

O passeio é gratuito, mas se ao final você achar que a experiência foi válida, faça uma doação aos guias, assim você mantém um projeto tão lindo e bem avaliado em operação. Saiba mais no site Curitiba Free Walking e aproveite para ler essas avaliações

 

 

O Que Fazer Em Curitiba – Melhor vista da cidade

 

Visita à Torre Panorâmica

A Torre Panorâmica é uma antiga antena de celular localizada no ponto mais alto de Curitiba, permitindo uma visão da cidade em 360 graus. Com 109 metros de altura, é um dos melhores e mais altos pontos para se observar a cidade. Os ingressos custam R$6 por pessoa.

 

 

O Que Fazer Em Curitiba – Museus 

vários museus espalhados na cidade, quase tanto quanto os parques de CTB (rsrs..), então vou listar os três mais bem avaliados e que realmente me despertaram interesse.

 

Museu Oscar Niemeyer

Quando brasiliense se depara com os traços daquele que desenhou sua própria “casa”, a reação não poderia ser outra, se não, euforia!

Considerado o maior museu de arte da América Latina, o MON abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional, com aproximadamente 7 mil obras nas áreas de artes visuais, arquitetura e design.” (fonte).  Não bastasse ser enorme, com seus 35 mil metros quadrados de área construída, o Museu Oscar Niemeyer está também super bem localizado, estando a pouco mais de 4 km do Jardim Botânico.

 

Endereço: Rua Marechal Hermes 999 | Centro CívicoCuritiba, Paraná 80530-230, Brasil

Funcionamento: Terça a Domingo, das 10 as 18 hrs.

Entrada: R$ 20 a inteira. Saiba mais no site oficial do MON.

Infelizmente, por estarmos com tempo corrido e toda uma programação apertada, não conseguimos entrar no Museu e ver a exposição daquele período. Fica para nossa volta à capital do Paraná.

 

Museu do Holocausto

Este segundo museu não poderia estar fora da nossa lista de indicações sobre o que fazer em Curitiba, pois além de abordar esse delicado tema, de um período tão triste e sofrido, é o único do gênero no país. Inaugurado em 2011, o museu guarda memórias do período do Nazismo, mostrando relatos de sobreviventes e deixando claro que tal época da história jamais deverá ser esquecida.

Entrada: gratuita.

Atenção: A visita deverá ser agendada através do site do Museu.

 

Museu Egípcio

Para quem tem curiosidade de conhecer um pouco da cultura egípcia. Este espaço guarda réplicas e objetos originais, todas contendo explicação sobre suas utilidades. Nesse museu há ainda uma múmia original, cuja idade se aproxima dos 2700 anos. Saiba mais sobre a Tothmea aqui.

No Museu Egípcio, as áreas internas e externas são convidativas. No pátio, há esfinges e uma pirâmide. É ou não é um atrativo para lá de atraente?

Ingresso: R$ 10 a inteira.

Funciona de terça a domingo em diferentes horários. Saiba mais no site do Museu Egípcio.

 

Mais uma vez, sinto que será inviável listar a enorme proposta de museus e memoriais. Mas, esses programas são excelentes opções para o que fazer em Curitiba com chuva, por exemplo. Para facilitar um pouco, segue lista de outros pontos que, a princípio, se mostram bastante interessantes: Museu Paranaense, Memorial Ucraniano, Museu de Arte Indígena, Museu do Automóvel, Memorial de Segurança no Transporte, Memorial de Imigração Polonesa, e não para por aí! Vamos ter que montar um roteiro todinho de Museus e Memoriais, para voltarmos cheios de conhecimento e inspiração.

 

 

O que Fazer em Curitiba – Onde Comer

Hora do café 

O Café do Viajante é o é o point ideal para um brunch ou “café da tarde” (não sou chegada a chás..rs). O espaço, idealizado pelo Robson do Blog Um Viajante, é trabalhado de forma intimista, com uma decoração industrial e diversos quadros de paisagens tirados por ele mesmo. Fomos a convite do idealizador do espaço, cada um recebeu um café (e olha que café, gente!).

Endereço: R. Comendador Fontana, 229 – Centro Cívico, Curitiba – PR, 80030-070

Obs: Só abre a partir das 12hrs, então melhor não esperar para tomar ‘café da manhã’ no sentido literal..rs.

 

 

Bar do Alemão

Restaurante típico de Curitiba. Mantém um ambiente rústico tradicional das tabernas germânicas. No cardápio, você encontra diversos pratos típicos da culinária alemã, como as famosas salsichas, bistecas, joelho de porco e carne de onça (calma, não é o que você está pensando..rs). Não bastasse, o chopp de lá já ganhou vários prêmios. Aqui você pode degustar o famoso submarino, no qual um pequeno copo com steinheger fica submerso dentro da caneca de chopp! E mais, o pequeno copo pode ser levado para casa como souvenir desse momento de porre confraternização pela cidade.

 

Restaurante O Jardineiro

O restaurante nos recebeu para um delicioso jantar. O evento contou com uma banda para animar a despedida dos blogueiros. O local, por ser bem amplo, recebe algumas festas e se mantém como excelente opção para almoço durante a semana. A comida é por quilo e com bastantes opções variadas.

O espaço é mais voltado para receber eventos, como formaturas e casamentos, mas ficamos sabendo que eles também abrem para almoço e happy hour. Saiba mais no site Restaurante O Jardineiro.

 

 

O Que Fazer Em Curitiba a Noite

 

Hard Rock Café

Foi nesse espaço super descolado que aconteceu a abertura Oficial do Encontro RBBV. Nele fomos recepcionados com serviço de coquetel e petiscos, além de bebidas alcoólicas e não alcoólicas.

Estivemos no Hard Rock Café do Bairro Recoleta em Buenos Aires em nossa primeira viagem internacional, e como comparativo, o Hard Rock Café de Curitiba não perde em nada para o de lá. É até mais bem decorado! O espaço é tão convidativo, transado e animado que, mesmo após o término do evento da Rede este dia, resolvemos esticar e pedir mais drinks e petiscos. Gente, sem condições um lugar assim!

 

Gards RoofTop

Para descontrair e colocar o papo em dia, os participantes se reuniram para um Happy Hour no segunda dia do Encontro. Para nós, havia um cardápio de drinks específico, com destaque para o Moscow Mule, feito pelo bartender especialista Gustavo Smolinski. A combinação de Gin tônica com gengibre trazia uma sensação de frescor e era deliciosa!

O espaço oferece ainda um cardápio de finger food (vulgo peticos), além de opções de refeição. Mas, se você quiser, pode pedir de outro restaurante do shopping, eles liberam a entrada. 🙂

Os drinks saem a partir de R$25,00

Onde: Shopping Pátio Batel – Piso L4

o que fazer em curitiba - dicas - erbbv - parana (55)
Dois drinks que foram verdadeiro sucesso essa noite. O Moscow Mule (na caneca) estava sensacional!

 

 

O Que Fazer Em Curitiba – Compras

 

Mercado Municipal

Aqui você encontra desde bancas de produtos orgânicos à sapataria. É o lugar ideal para quem quer fazer compras e procura por souvenires diferenciados. Por lá, você encontra uma deliciosa praça de alimentação com várias opções. Um dos dias de palestras foi dentro deste Mercado, em uma sala específica, que sorte a nossa!

Dica: em sua passagem pelo Mercado Municipal não deixe de experimentar o pastel de Pinhão. Confesso que evito ao máximo me alimentar de frituras, mas a Júlia me deu um pedaço do dela que foi o suficiente para vir o arrependimento de ter pedido outra coisa para o almoço.

 

Feira do Largo da Ordem

Falou em feira meus olhos brilham e o coração dispara! Sério gente, tem coisa melhor do que ver de pertinho criações feitas, em sua maioria, manualmente?! E o melhor, a preço acessível. A Feira do Largo da Ordem está localizada no Centro Histórico de Curitiba e acontece sempre aos domingos, das 9h as 14hrs. Aqui vende-se do mais diverso artesanato, imãs, terrários, roupas para adultos e crianças, arte nos mais diversos tons de cores, entre tantas criações. Há ainda delícias como pastéis, crepes e doces.

 

Dica: Esse dia almoçamos na barraquinha Piadina Mia. Comemos uma espécie de pão italiano recheado. De acordo com a dona da barraquinha, a massa não pode ser chamada de crepe, nem pizza, wrap ou seja lá o que conhecemos popularmente. Era sim um sanduíche italiano, elaborado de forma artesanal, a base de farinha e azeite extravirgem. Estava bem gostoso!

 

 

O Que Fazer Em Curitiba – Programas Bate e Volta

 

Passeio a Morretes pela Serra Verde Express

Um dia inteiro de intenso contato com Mata Atlântica preservada e experimentação do prato típico mais tradicional da cidade de Morretes, o famoso Barreado! Como resumir tanta atividade em poucas linhas?! Não sei, mas vamos tentar – calma que vai ter post completo e exclusivo sobre essa vivência inesquecível.

o que fazer em curitiba - dicas - erbbv - parana (55)

 

Estrada da Graciosa

Naquele dia começamos o passeio pelo terminal Rodoferroviário de Curitiba. De lá partiram as vans que atravessariam a Estrada da Graciosa, pela rodovia 410. Esse trecho tem grande valor histórico e de natureza, sendo composto por 33 quilômetros calçados em paralelepípedos e predominante vegetação de Mata Atlântica. Infelizmente o período da manhã naquele dia foi de bastante neblina, o que nos impediu de fazer fotos boas, que mostrassem a real beleza de tudo.

Dicas: Se você for em veículo próprio, vá devagar e faça o máximo de paradas possíveis (há diversos pontos, mirantes, lanchonetes), pois assim é possível contemplar bem a paisagem. A estrada é sinuosa, composta por várias curvas, que demandam muita atenção do condutor.

Evite fazer a Estrada da Graciosa em feriados, pois alguns relatos afirmam que formam congestionamentos.

 

Hisgeopar

Um pouco da história do Paraná em maquetes que se movimentam e liberam sons e cheiros.  Aberto há cerca de um ano e meio, em janeiro de 2018, o Paraná Encantado Hisgeopar chegou com a proposta de contar a história paranaense de forma interativa e divertida. A maquete é gigante, tendo levado 3 anos para ser finalizada; além do mais, todos os bonecos se movimentam, junto com a Maria Fumaça que faz várias “viagens” dentro da ampla sala. Por tudo isso, esse é um bom atrativo em seu roteiro de o que fazer em Curitiba em Família/com crianças.

 

Entrada: R$ 30 – mas se feito através do pacote pela Serra Verde Express, está incluso no roteiro.

Funcionamento: de segunda a domingo, das 9h às 18h.

Endereço: Rodovia Mário Marcondes Lobo – PR411 , nº 70, Morretes

Os passeios pela estrada da Graciosa e Morretes podem ser feitos de forma independente.

Há dois parques dentro do território onde está a Estrada da Graciosa: o Parque Estadual da Graciosa e o Parque Estadual Roberto Ribas Lange.

A Estrada da Graciosa faz a ligação entre Curitiba e cidades litorâneas.

 

Enfim, Morretes – Almoço no Restaurante Madalozo

O clássico restaurante Madalozo nos recebeu para um rodízio do famoso barreado. Feito com carne de segunda (patinho, maminha), o barreado passa por um longo processo de cozimento, chegando a até 12 horas. É para desmanchar mesmo. Ainda em seu preparo é adicionada a farinha de mandioca, até ficar bem consistente. Em seu formato mais tradicional, ele é servido com com banana prata fatiada em cima do arroz.

 

No dia em que degustamos o Barreado, nos foi servido também frutos do mar. Este rodízio também faz parte do cardápio. É pra sair mais pesado mesmo, porém feliz! hummmm!!

Valor do rodízio: R$ 67,90 por pessoa.

 

Passeio de Trem no Pôr do Sol

A cereja do bolo! Eram 15 horas quando o Trem saiu de Morretes em direção a nosso destino de origem. Em 4h e 15 min ele chegou em Curitiba. A proposta não poderia ser melhor: atravessar a linha férrea construída há mais de 130 anos, observando de perto todo aquele espetáculo de mata praticamente intocada. Passar pelo trecho da Serra do Mar paranaense é estar em contato com a maior parte de Mata Atlântica preservada no país!

o que fazer em curitiba - dicas - erbbv - parana (55)

 

Nossa segunda experiência em trem, com aquele gostinho de volta ao passado. Percebi que sou apaixonada pelo transporte ferroviário.

Saiba: o percurso Curitiba – Morretes, se feito pelo Trem da Serra Verde leva 3h. Já o contrário (Morretes – CTB), leva 4h e 15 minutos. Isso se deve ao fato dele estar saindo do litoral em direção ao planalto.

 

O pacote completo (igual ao feito pelos membros do Encontro RBBV), com transporte pela Estrada da Graciosa, almoço no Madalozo e volta de trem sai por R$285.  Mas se você prefere economizar, basta fazer seu trajeto de ida a Morretes (ou volta) por conta própria.

A Serra Verde Express também faz outros tipos de tours, tem até passeio para amantes de cerveja #quero!

Não há como resumir tamanha experiência em poucas palavras, nesse espacinho, então saiba que haverá um post exclusivo e detalhado muito em breve.

 


Quer comodidade e praticidade em seus passeios?

Dê uma olhada nos pacotes que a TourOn oferece:


Parque Histórico de Carambeí

O Brasil é mesmo o país onde se encontra o maior nível de miscigenação do planeta. Se existe outro local onde encontramos “o mundo” dentro do mesmo território, alguém que diga, pois desconheço. A Holanda em dois pedacinhos do Paraná, tem também.

Localizado a 140 km de Curitiba, o Parque Histórico de Carambeí é um museu a céu aberto inaugurado durante as comemorações do centenário da imigração holandesa. Um terreno de 100 mil metros quadrados que guarda lembranças e preserva a cultura dos holandeses que viveram por aqui.

Uma grata surpresa proporcionada pela Sylvinha, do Blog Sentidos do Viajar. Esse lugar me tomou de encantamento! Ele reproduz cidades holandesas, em referência aos imigrantes que chegaram ao Brasil a partir de 1930. Cada construção possui 65% do tamanho original. Rico em detalhes, sendo uma excelente opção de o que fazer em Curitiba em um bate e volta.

Curiosidade: Você sabia que a grande produtora de leite e produtos laticínios Batavo foi originada em Carambeí? Saiba mais em um post exclusivo. Enquanto ele não fica pronto, você pode ler as considerações da Sylvia, Seis Atrações de Curitiba e Arredores.

Ingresso:  R$ 20 a inteira. As quartas-feiras a entrada é gratuita para todos, exceto feriados e para grupos.

 

Centro Cultural Castrolanda

Um pouco mais distante de Curitiba, a 160 km e pertencente ao município de Castro, também é uma excelente oportunidade de conhecermos um pouco da história da imigração holandesa para o Brasil. O Centro Cultural Castrolanda guarda memória das primeiras famílias de holandeses que chegaram ao Brasil no período do pós-guerra, com o desafio de recomeçar uma nova história.

 

O Centro Cultural funciona de sexta a domingo e feriados, das 13 as 18 hrs.

Ingresso: R$ 15 a inteira.

Obs: o Clima em Carambeí e no município de Castro é predominantemente frio. Lembro que passei o dia quase todo de casaco, então venha preparado(a)!.

Deslocamento: Chegamos em ambas as cidades de van. Fizemos a viagem com o Sr. João Silvério, da Alas Van, com 15 lugares (R$ 750,00). Seu contato é pelo WhatsApp (41) 99103-0739. Mas você também pode alugar um carro.

Procurando aluguel de carro em Curitiba?

Compare aqui em mais de 100 locadoras, e garanta o melhor preço. Faça sua locação por nosso afiliado RentCars e nos ajude a manter o conteúdo atualizado! 😉


Reservando por esse link você nos ajuda a manter o blog e não paga nada a mais por isso! 😉

 


Dicas de Roteiro

 

O que fazer em Curitiba no final de semana

Resumidamente

Sexta-Feira – Supondo que você chegue no meio da tarde –  Tour Fotográfico Kuritibike ou  Tour Comida de Boteco;

Sábado – City Tour Linha Turismo (para aproveitar muito bem o tempo, passando pela maioria dos locais listados) + Tour Curitidoce (lembrando que o tour começa as 15 hrs) + Jantar no Hard Rock Café;

Domingo – Feira do Largo da Ordem + Museu de sua preferência OUo Passeio de Trem no Pôr do Sol oferecido pela Serra Verde Express.

Quer mais? Minha senhora do Blog Fora da Toca tem dicas preciosas no roteiro O que Fazer em Curitiba em 2 dias, veja aqui!

O que fazer em Curitiba em família/com Crianças

  • Tour Curitidoce;
  • Tour Kuritibike;
  • Bosque Alemão – Não está especificado na lista, mas há uma trilha que conta a história de João e Maria. Há também a casa da bruxa, uma biblioteca que tem contação de histórias aos finais de semana;
  • Estrada da Graciosa, passando pelo Paraná Encantado Hisgeopar. As crianças adoram!!!

 

O que fazer em Curitiba com chuva

  • Mercado Municipal;
  • Torre Panorâmica;
  • Museu Oscar Niemeyer;
  • Visita à Arena da Baixada.

Obs: O clima em Curitiba é predominantemente chuvoso rsrs. Sério gente, ô cidade que gosta de uma precipitação. Para que você aproveite melhor esses dias, evite os Parques (jura Monikete? )…Outra coisa, leve casacos – grossos – ou você fatalmente vai sofrer como a Dona Maria, do 1 Viagem 2 Visões, pois ninguém explicou para ela, então passou por alguns perrengues, que foram transformados nesse hilário post.

O que fazer em Curitiba de graça

  • Jardim Botânico;
  • Parque Barigui;
  • Parque Tanguá;
  • Curitiba Free Walking;
  • Museu do Holocausto;
  • Mercado Municipal;
  • Feira do Lago da Ordem.

 


Uffffa!! É isso, pessoal! Por incrível que pareça, esse guia é um resumo de o que fazer em Curitiba, porque essa cidade é muito farta em atrativos!! Faltou algum programa imperdível? Manda para nós nos comentários.

Abaixo, registro do trem regressando à cidade. Aqui mobilidade urbana simplesmente acontece. Curitiba, está registrada minha paixão por você!

o que fazer em curitiba - dicas - erbbv - parana (22)

 


Esse post serve também como forma de agradecimento a todos os envolvidos no Encontro de Blogueiros RBBV2018. Obrigada Rede mãe, o Leve Sem Destino chegou aqui graças a vocês. Obrigada também aos patrocinadores: TripAdvisor, Seguros Promo, EasySim4U, Viajanet, Booking.com; Parceiros:Curitiba Convention & Visitors Bureaux, Curitiba Turismo; e apoiadores: Belvitur, Curta Curitiba e Serra Verde Express.

#VivaLeve


O Leve Sem Destino faz parte de alguns programas de afiliados, isso significa que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados abaixo, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter.

 

Hospedagem | Aluguel de Carros | Seguro Viagem


Mônica Rodrigues

Leonina, brasiliense de alma e coração, graduada em Administração em Comércio Exterior e apaixonada por tudo o que envolve o ramo (apesar de não atuar nele). Tem verdadeiro fascínio pelo desconhecido. Acredita que pessoas se tornam melhores ao se depararem com o externo/ diferente, o que foge da “bolha”. Se sente em paz ao viajar e carrega consigo seu namô e sua família pra onde quer que vá.

4 comentários em “O que fazer em Curitiba: O Guia Completo

  • 24 de maio de 2019 em 10:18
    Permalink

    Olá Mônica, amei seu post! Está super completo e ajuda muito a quem quer conhecer esta linda cidade, organizar-se para aproveitar melhor sua estada em Curitiba. Obrigada pelo seu trabalho em organizar tudinho pra gente!!! Bjos

    Resposta
    • 27 de maio de 2019 em 22:31
      Permalink

      Sylvinhaaa, imaginaa!! Obrigada você, especialmente, por vir de um lugar tão bonito. Sua cidade está de parabéns! Além do que, fiquei completamente apaixonada pelo Parque Histórico!
      Beijão!

      Resposta
  • 24 de maio de 2019 em 01:40
    Permalink

    Que DELÍCIA de guia completíssimo de dona Mônica e dono Fábio e ainda com participação especial de fotos de dona Ju, dessa dona Curitiba! ❤️ Vou salvar aqui pra quando voltar lá (porque até então a única coisa que fiz em Curitiba na minha passagem por lá tinha sido passar muito frio, pegar muita chuva, gripar e voltar reclamando) – e preferencialmente voltar lá com vocês

    Resposta
    • 27 de maio de 2019 em 22:29
      Permalink

      Dona Mariiiiiia, que honra ter a senhora aqui com a gente! A gente faz questão de te levar lá. Levaremos também: o sol, o calor, o Buba e a Júlia (só por que a gente é muito legal rsrs). Você viu que tem um link contando a sua história? 🙂 Beiiiijo no coração! <3

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *