O Que Fazer em Itacaré – O Guia Completo

Dez horas, tempo médio aproximado que gastamos no deslocamento até aqui. Oito, só no trajeto Porto Seguro – Itacaré. Tempo suficiente para nos darmos conta da nossa pequenez diante do mundo. Quase 400 km separam ambas as cidades.


O que você encontrará nesse artigo:


Um caminho onde o verde reina. Uma paisagem predominantemente rica em Mata Atlântica, rumo a um dos lugares mais abundantes em vida. Itacaré, mais um daqueles destinos onde o ecoturismo é encontrado em larga escala. Aqui relaxamento e agitação caminham juntas, onde água salgada e doce equilibram-se e dão vida a centenas de espécies. Saiba o que fazer em Itacaré e programe-se para dias inesquecíveis!


Que tal se hospedar em uma casa na mata mas no centro da cidade?

onde ficar em itacare - airbnb - 1


O que Fazer em Itacaré

Primeiramente, Itacaré é uma cidade estrategicamente posicionada no centro da chamada Costa Do Cacau, rodeada por praias belíssimas, vegetação farta e preservada de mata atlântica; cachoeiras, mangues e uma rica oferta gastronômica. Itacaré é sem dúvida uma das regiões mais fenomenais que abrangem o litoral brasileiro. Aqui você pode curtir agitação ou o puro relaxamento, e vou mostrar agora como.

itacare - o que fazer em - praia - surf - jeribucacu - prainha - itacarezinho - costa do cacau - ilheus - peninsula de marau - bahia - viagem barata - barra grande (6)

 

História de Itacaré

Assim como Caraíva, Itacaré tem em sua base histórica a presença de aldeias indígenas que viviam de caça, pesca e agricultura de subsistência. Aqui os portugueses chegaram em 1530, trazendo consigo os jesuítas e implementando as capitanias hereditárias. Itacaré se tornou município em 1732 e possui ainda hoje algumas construções antigas, como a Casa dos Jesuítas e a Igreja Matriz. Monumentos esses, tombados com quase 300 anos de existência.

ONDE SE HOSPEDAR EM ITACARÉ?

Em Itacaré, estivemos hospedados no Kombar Hostel, um excelente custo-benefício. Nosso quarto era bem equipado e tinha até um mosquiteiroO Kombar Hostel fica na melhor localização da cidade. Oferece ainda, um café da manhã vegano. Teve até um bolo de milho caprichado. Os anfitriões, Marina e André, são muito solícitos. Fazem tudo pra te agradar. 😀

 

Por volta dos anos 1700 Itacaré e região ganharam destaque na produção de Cacau, devido à composição do solo e clima. Sendo a Bahia, até a atualidade, o maior produtor nacional do fruto.

Curiosidade: dentre as cidades da chamada Costa do Cacau, a que possui maior quantidade de fazendas produtoras desse fruto docinho é Ilhéus.

 

Você Sabia?

A origem do cacau brasileiro é mexicana. As primeiras sementes foram trazidas pelos portugueses e plantadas no Pará, mas sem muito sucesso. Após serem levadas à Bahia, encontraram um terreno tão propício ao cultivo que, em 1880, a média de produção anual chegou a trezentas mil toneladas.

Mas, como nem tudo são flores, no fim dos anos 80, uma praga chamada vassoura de bruxa foi responsável por derrubar lavouras inteiras, fazendo a produção nacional cair de 400 mil toneladas para 180 mil. (fonte)

 

Onde Fica Itacaré

Itacaré está localizada ao sul da Península de Maraú. Seu principal rio, o Rio de Contas nasce a 620 km de distância, na Chapada Diamantina. As cidades famosas mais próximas a Itacaré são: Salvador (397 km por estrada ou 250 estrada + balsa), Porto Seguro ( 390km) e Ilhéus (70 km).

 

Como Chegar em Itacaré

De avião

O aeroporto mais próximo de Itacaré é o Aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus. Por aqui passam vôos nacionais operados pelas cias GOL, LATAM e Azul. Já os voos internacionais chegam pelos aeroportos de Salvador ou Porto Seguro; sendo o primeiro o mais indicado, levando em consideração a logística.

 

Para Quem Vem de Ilhéus

De carro

Para quem vem de Ilhéus – Você pode alugar um carro e ficar bem a vontade durante sua estadia em Itacaré. Fazendo sua cotação pela RentCars é possível escolher pelo melhor preço, parcelar e retirar seu veículo no aeroporto.

Saindo do aeroporto, o acesso é pela BA-001, seguindo pela estrada litorânea – uma paisagem estupidamente linda!

Dica: Para quem deseja alugar um carro e tem o intuito de subir pelo litoral, desbravando a Península de Maraú e Barra Grande, o recomendável é optar por modelos altos, devido às condições das estradas não serem as melhores.

 

De ônibus

A forma mais econômica de seguir de Ilhéus a Itacaré. A empresa que opera o trecho Ilhéus – Itacaré é a ROTA,a mesma que nos levou de Porto Seguro a Itacaré. O primeiro ônibus sai às 6 da manhã e o último às 8 da noite (saídas de hora em hora). Os valores das passagens giram entre R$ 16 e R$ 17 e a viagem leva cerca de 1 hora e 40 minutos.

 

De táxi/transfer

diversas empresas e agências que operam esse serviço entre as duas cidades. Os valores variam bastante. Uma média de R$ 150 a R$ 200  por casal/trecho.

Uma agência que irá lhe atender bem caso essa seja sua escolha é a Tour On. Por ela você tem ideia de valores, podendo dividir no cartão de crédito e ler as avaliações de outras pessoas que já utilizaram o serviço.

 

Para Quem Vem de Salvador

O Aeroporto Internacional de Salvador é, geralmente, a opção de chegada da maioria dos visitantes interessados em conhecer Itacaré. Pois nele, chegam a maior parte de voos vindos de outros estados. Se esta for sua escolha, a opção de alugar um veículo para garantir a comodidade continua válida.

 

De carro

Para chegar em Itacaré partindo de Salvador, a opção mais rápida é fazendo a travessia de balsa, que sai de Salvador e segue até Bom Despacho, na Ilha de Itaparica. O restante da viagem segue por via terrestre, BA-001, até Itacaré.

O valor da travessia para carros comuns é de R$ 45 em dias de semana, e R$ 64 aos finais de semana. A distância entre o Aeroporto Internacional de Salvador e o Terminal Marítimo de São Joaquim – onde parte a balsa – é de 24 km.

Agora, se sua escolha for por não fazer a travessia de balsa, o caminho é seguindo via BR 324 e BA-001. Uma volta bem maior, em viagem que leva em média 7 horas.

Para sua total comodidade, não esqueça de fazer sua cotação pela RentCars. Assim você tira o veículo já no aeroporto e ainda ajuda o blog a se manter.

 

De ônibus

Se esta for sua opção, a melhor forma é se dirigir até o Terminal Marítimo de São Joaquim, fazer a travessia e seguir até o Terminal de Bom Despacho, na Ilha de Itaparica. As empresas que operam esse percurso são a Água Branca e Cidade do Sol e você pode comprar suas passagens por aqui. O custo médio da passagem é de R$ 50 e a viagem, partindo de Bom Despacho, leva em torno de 5 horas.

Atenção: Juntas as companhias oferecem 6 horários diferentes de embarque, sendo o último deles às 15 horas.

A distância entre a balsa e a Rodoviária de Bom Despacho é de 800 metros.

Dica: Vindo de Salvador ou Ilhéus as estradas encontram-se em boas condições. A dificuldade pode aparecer para quem coloca Barra Grande ou Península de Maraú no roteiro, pois um trecho do caminho é de terra e se chover piora ainda mais.

 

De táxi/transfer

Assim como em Ilhéus, em Salvador há taxistas e agências que oferecem transfer. Os valores giram em torno de R$ 170 por pessoa. A dica aqui é procurar por recomendação na pousada ou fazer uma avaliação de valores em Salvador. Não deixe de negociar!

 

Para Quem Vem de Porto Seguro

Nosso caso. Quem nos acompanhou pelas redes sociais – se você não segue ainda, toma – viu que saímos de Trancoso rumo a Itacaré. Longe? Um bocado. Perdemos praticamente um dia inteiro no deslocamento.

 

De carro

A gente pensou bastante em alugar um carro em Porto Seguro, pois assim conseguiríamos otimizar o tempo. Mas devido às condições nas estradas de Barra Grande, que são péssimas, muitas vezes intransitáveis para carro não traçado, acabamos deixando de lado a ideia e encarando um ônibus mesmo. Mas se você prefere otimizar o tempo, não deixe de fazer sua cotação pela RentCars.

Em tempo: Barra Grande fica a 66 km de Itacaré. Trata-se de uma vila toda charmosinha que cogitamos passar uma ou duas noites. Mas por conta da precariedade nas estradas, acabamos fazendo o bate e volta, de barco.

Como chegar: BR-367 até Eunápolis, depois BR-101 até Itabunas e, ao chegar em Ilhéus, BA-001, pelo litoral. Para melhor precisão, use um aplicativo de navegação, como Waze ou Google Maps.

 

De ônibus

A empresa que opera esse trecho, assim como a Ilhéus – Itacaré, é a ROTA. Vale ressaltar que só há 1 ônibus fazendo esse percurso por dia, que sai no horário de 12:40. O valor da passagem é de R$ 88 e a viagem leva em média 8 horas.

 

Observação: Nesse dia saímos cedo de Trancoso e fomos a Porto Seguro de van. A distância entre as duas cidades é de 35 km, sendo necessária a travessia de um balsa (Arraial d’Ajuda – Porto Seguro). A viagem dura cerca de 1:30 horas.

 

De táxi/transfer

Creio que não exista serviço de transfer para essas duas cidades, pois são relativamente distantes. Mas, na necessidade você pode tentar fechar com um taxista de Porto Seguro.

 

O que Fazer em Itacaré

Dia e noite; casal, amigos, família ou viagem solo; Itacaré tem programação para ocupar seu dia inteirinho. Itacaré é famosa por ser destino de praia adorado por praticantes de surf, mas se engana quem pensa que só de praia é feita a região. Agora é hora de listar as incontáveis possibilidades de o que fazer em Itacaré. Vamos lá?

 

Praias de Itacaré

São tantas, que se soubéssemos antes teríamos feito ajustes no roteiro e adicionando mais dias para a cidade. Ok, você não precisa ir em todas (ou precisa? rs), mas é fundamental saber que as possibilidades de o que fazer em Itacaré são infinitas.


Que tal se hospedar em uma casa perto das praias e da Pituba?

onde ficar em itacare - airbnb - 2


Praias Urbanas

A gente mal havia se instalado quando fomos apresentados pela Marina (uma das proprietárias do Kombar Hostel, nossa hospedagem em Itacaré), a um mapa da cidade e uma quantidade considerável de praias. Ali mesmo nos demos conta que nossos 5 dias de roteiro (3 inteiros), seriam insuficientes. Snif

Perto da principal rua de Itacaré, a Rua Pituba, há, pelo menos, 5 praias que podem ser visitadas no mesmo dia. Ainda que sejam consideradas praias urbanas, elas passam longe daquele modelo de praia feio e poluído que, infelizmente, nos deparamos em diversos estados brasileiros.

ONDE SE HOSPEDAR EM ITACARÉ?

Em Itacaré, estivemos hospedados no Kombar Hostel, um excelente custo-benefício. Nosso quarto era bem equipado e tinha até um mosquiteiroO Kombar Hostel fica na melhor localização da cidade. Oferece ainda, um café da manhã vegano. Teve até um bolo de milho caprichado. Os anfitriões, Marina e André, são muito solícitos. Fazem tudo pra te agradar. 😀

 

Praia do Resende

A primeira do conjunto chamado de 4 praias. Próxima à Rua Pituba, seguindo a direita, a Praia do Resende possui extensa faixa de areia, coqueiros enormes e, como as praias vizinhas, uma paisagem deslumbrante. Aqui há 2 quiosques, prontos para atender os visitantes. Mas se você procura economizar em Itacaré, basta trazer a canga, água, lanches e o boné. Na praia do Resende há muita sombra.

 

Dica: nós chegamos pela praia do Resende e fomos caminhando até as outras duas (há mais uma, mas nos limitamos às mais fáceis). Uma trilhinha muito tranquila. Recomendo que você faça isso também e escolha sua preferida.

A distância entre a a Rua Pituba, a principal da cidade, e a Praia do Resende é de cerca de 700 metros.

 

Praia da Tiririca

Vizinha à Praia do Resende, a Praia do Tiririca é a preferida dos surfistas. Aqui as ondas são maiores, mas não tão diferentes das demais (pelo menos não visualmente). Nesta praia, você também encontra estruturas simples de barracas, mas, ao contrário da primeira, não há tanta sombra.

 

Observação: Aqui o visitante pode chegar por trilha, vindo da vizinha Praia do Resende, ou pela rua onde veículos e pedestres chegam.

 

Praia da Costa

A menor e menos frequentada. Ainda assim, toda charmosinha. A Praia do Costa possui correntezas mais fortes e muitas pedras. Talvez, por conta disso, ela seja menos procurada para banho. Também não conta com estrutura de barracas de praia, sendo ideal para quem quer apenas relaxar/meditar e fazer belas fotografias.

 

Praia da Ribeira

A última das quatro praias consideradas urbanas, pois mais adiante há outras duas, onde o acesso se dá por trilha. A Praia da Ribeira também é famosa pelas belezas naturais, pois é toda cercada por mata atlântica. Há ainda um rio que deságua no mar, o Rio Ribeira, que proporciona um banho de água doce. A Praia do Ribeira possui estrutura de barracas e, relatos no TripAdvisor dizem ser possível se aventurar em tirolesa e arvorismo.

Nós, infelizmente, optamos por não seguir até a Praia da Ribeira, pois nossa intenção seria almoçar na Praia da Concha.

 

Praia da Concha

Praia urbana com melhor infra-estrutura para atender famílias. A Praia da Concha é formada pelo encontro das águas do Rio de Contas – aquele que nasce na Chapada Diamantina – com o mar, formando uma enseada de águas calmas e morninhas. A Praia da Concha é repleta de barraquinhas, charmosas pousadas e há ainda a oferta de aluguel de stand up e esportes náuticos em geral.

Ali perto, no Morro do Xaréu, fica o mirante que é um dos locais mais perfeitos para se contemplar o pôr do sol. Para encontrar o Mirante da Ponta do Xaréu você deverá caminhar para o lado esquerdo da praia da concha. Outra atividade interessante de o que fazer em Itacaré nesta praia, é aproveitar algum dia e horário de maré baixa para conhecer o Farol.

Localização: 1,3 km da rua principal, a Pituba.

 

Praia da Coroinha (ou Coroa)

Localizada em frente a parte histórica de Itacaré, essa praia é a única não recomendada para banho, pois ela serve de atracadouro para pescadores e barqueiros. Ainda assim, essa orla é bem movimentada, ideal para uma tarde de passeio.

 

Praias Rurais

Praias cujo acesso é um pouco mais distante, mas ainda assim, chegam a ser bem próximas à cidade de Itacaré. São tantas, que me vem uma enorme dor no coração só de lembrar que não conhecemos nem ⅓ . Prepare-se para não saber o que fazer diante de tanta opção..rs.

 

Praia de Itacarézinho

Mais de 3 km de orla, areia, coqueiros, uma paisagem absurdamente linda – pelo menos por foto, porque a gente, infelizmente, também não teve tempo para visitar (snif).

Essa praia fica localizada a 15 km de Itacaré, pela BA-001. Se você optar por ir em veículo próprio, o mesmo deve ser deixado antes do estacionamento, às margens da rodovia, ou dentro do estacionamento privativo, ao custo fixo de R$ 50 (Oi?). Sim, esse foi o valor cobrado na temporada dezembro/janeiro 2020.

No diminutivo, só tem mesmo o nome, porque o espaço de areia é imenso. Quando em maré baixa, formam-se deliciosas piscinas naturais. Do alto, próximo ao estacionamento privativo há um mirante de onde toda a praia se apresenta ao visitante.

Um local paradisíaco que, com certeza, estará em nosso roteiro quando voltarmos à Itacaré. Mas atenção, os valores cobrados pelo restaurante do espaço também são elevados. Falam em R$ 100 por pessoa.

 

Como chegar:

Carro: BA-001, sentido Ilhéus. Há sinalização pelo caminho.

Ônibus: Parte da rodoviária de Itacaré com destino a Ilhéus. Você deve descer na entrada de Itacarezinho. A partir daí, a caminhada leva em média 30 minutos.

Dica: você também pode ir de táxi e dividir o valor da corrida com um grupo. Não vimos a oferta de Uber em Itacaré.

Também é possível chegar à Praia de Itacarezinho caminhando pelas praias vizinhas. Esse percurso é chamado de trilha das 4 praias. Nele você passa pela Praia da Engenhoca, Praia do Havaizinho e Praia da Gamboa, além claro, de Itacarezinho. Um percurso de 4km de trilha.

 

Praia da Engenhoca

Mais um belo local preservado, rodeado por mata atlântica e frequentado por surfistas (como a maioria dessas praias). A Praia da Engenhoca possui acesso por trilha através da vizinha – Havaizinho – ou, partindo do estacionamento, um percurso de 20 minutos.

Essa praia é recomendada para praticantes de surf, pois as ondas são maiores. Há estrutura de barracas, mas a recomendação para quem busca refeição completa seria a Praia do Havaizinho.

Ideal para quem curte locais menos movimentados. Há ainda um rio que deságua na lateral.

 

Praia do Havaízinho e Gamboa (Camboinha)

Duas praias separadas por arrecifes, que na maré baixa formam piscinas maravilhosas. O acesso à esta praia é feito pela mesma trilha que leva à Engenhoca. A área conta com quiosques simples. Por lá não há energia elétrica, nem máquinas de cartão, então o ideal é levar dinheiro em espécie.

 

Trilha das 4 Praias

Percurso de trilha que leva às 4 praias rurais mencionadas acima. A recomendação para esse tipo de passeio é que seja feito com guia, mas há quem faça por conta. O passeio às 4 praias começa geralmente pela Praia da Engenhoca, seguindo então para Havaizinho e Gamboa; finalizando na Praia de Itacarezinho.

O acesso à Praia da Engenhoca ou Havaizinho dá-se pela rodovia BA-001, a mesma que leva até Ilhéus, no km 12.

 

Dicas para fazer a Trilha das 4 Praias:
  • É possível fazer de chinelos, mas, por precaução leve tênis também;
  • Consulte a tábua de marés, pois faz muita diferença chegar antes da maré mais baixa e curtir bem as 4 praias;
  • Leve água e lanches, pois caso você vá em baixa temporada pode ser que as barracas encontrem-se fechadas – além dos preços não serem muito convidativos;
  • Em Itacaré há agências que fazem esse tipo de passeio com a presença do guia, o que não sai caro. Oferece segurança e suporte de veículo. Nossa indicação para a trilha das 4 praias vai para o Alexandre (73) 999341491.

 

Praia de Jeribucaçu

Sem sombra de dúvidas a praia mais bonita que estivemos em Itacaré. Arrisco dizer que foi a preferida de toda a viagem. Não chegamos a fazer o circuito das 4 praias nem a Prainha, mas se alguma delas consegue ser mais exuberante, eu já não tenho capacidade mental para imaginar. O que mais na existência pode ser mais bonito que este cenário?!

 

Responda você.

A Praia de Jeribucaçu é mais um cantinho rodeado por coqueiros e mata atlântica, além do encontro do rio Jeribucaçu com o mar. Na maré baixa, uma extensa piscina rasa se forma nos dando a certeza de que estamos em um verdadeiro paraíso.

A Praia de Jeribucaçu possui estrutura muito simples. Barraquinhas que oferecem água de coco, queijo coalho, açaí e almoço. Os preços aqui são excelentes, visto que estamos longe de tudo. Vale lembrar que essas barraquinhas também não trabalham com cartões, ou seja, venha com seu dim dim em espécie e curta muito.

 

Subindo o rio Jeribucaçu há uma trilha pelo manguezal que leva até a Cachoeira da Usina. Nós que não resistimos a combinação trilha + cachoeira, fechamos com o Alexandre esse rolê super completo. Ele nos levou primeiro à praia, depois à cachoeira da Usina. A ordem ficou melhor dessa maneira por conta do horário da maré baixa, que influencia diretamente no volume de água no mangue, e está exatamente aí o perigo de você ir sem guia. Fora que a trilha não é auto guiável.

 

Como chegar a Praia de Jeribucaçu:

Localizada 9 km ao sul de Itacaré, o acesso é pela mesma estrada que leva às demais praias (BA-001). No km 6 há uma placa sinalizando a entrada para a estrada de terra, onde percorre-se os 3 km finais até o estacionamento, que é pago. O problema em fazer praia mais cachoeira da Usina é que as saídas são em pontos diferentes, então a recomendação é ir de táxi e combinar local e horário aproximado da volta. Você pode fazer também com agência e ficar despreocupado.

 

Dicas:

A trilha até a Praia de Jeribucaçu leva cerca de 30 minutos de caminhada. Creio que ela tenha por volta de 3 km, eu achei super tranquila. Durante todo o percurso, fomos conversando. Alexandre, nosso guia nos mostrava um pouco da flora local enquanto contava a própria história. Ele é neto de indígenas que ainda vivem em quilombos. Segundo ele, sua avó tem 111 anos e é considerada “médica” na aldeia onde vive. Já seu avô tem 109 anos e foi escravo de fazendas de cacau.

Já a trilha até a Cachoeira da Usina passa por mata fechada, mangue e rio. Para mim é imprescindível a contratação de um guia, ou, uma pessoa que conheça muito bem o local. Por se localizar dentro de mata virgem há a presença de animais silvestres, como a ligeira cobra que passou por nós, já perto da cachoeira.

Do estacionamento até a Cachoeira da Usina caminha-se um total de 6 km. Há um pedacinho mais íngreme que exige de nós um esforço maior, mas não tem nem 200 metros.

 

Praia do Arruda

Caminhando pela costa da Praia de Jeribucaçu chega-se na Praia do Arruda. Essa é uma praia mais deserta, sem estrutura de nada, mas muito bonita.

 

Prainha

Cartão postal de Itacaré. Talvez a praia mais famosa da região e uma das mais belas praias brasileiras. Seu acesso é possível por duas formas: partindo da praia vizinha, a Praia de São José, onde o acesso é privado e o/a visitante paga pelo Day Use; ou por trilha, que leva uns 50 minutos, sendo recomendada a contratação de um guia local.

O acesso mais usual, por trilha, parte da Praia da Ribeira. É muito fácil encontrar guias se oferecendo para levar. Há quem pegue orientações na internet e vá por conta, mas creio que a presença de um guia passa maior segurança e não é caro, especialmente se o valor da guiagem for dividido.

A prainha é considerada quase deserta. No caminho há barracas que vendem água de coco, mas creio que eles não estejam lá em baixa temporada, especialmente se for meio de semana. Nós quase fomos à Prainha, quase mesmo, mas ficamos inseguros com relatos de roubo pela trilha.

Verdade seja dita, os relatos são antigos e ao que parece, os assaltantes envolvidos foram presos. A gente anda com câmera, né? Pensamos em sair só com celular ou Gopro escondida no corpo, pois não existe notícia de abuso ou violência. A maioria era sobre deixar mochilas e seguir a caminhada.

Enfim, não foi dessa vez, mas a Prainha está nos planos de regresso a Itacaré. Caso você queira conhecê-la, vá pela Praia de São José ou, prefira um dia de maior movimentação às praias (finais de semana, por exemplo). Também evite levar objetos de valor, mas não esqueça de água e lanches.

 

Praia de São José

Mais uma praia pequena, bem linda, rodeada de verde da mata atlântica e com mar cheio de ondas fortes. Aqui há pousadas e casas de alto padrão. Para quem vem direto pela Praia de São José, a opção é reservar o Day Use no complexo ecoturístico Villas de São José. Um local de boa infraestrutura, restaurante pé na areia, mesas, espreguiçadeiras, piscina e ducha.

Mas se você não estiver a fim de gastar, o único acesso é através da trilha da Prainha, uma caminhada de 15 minutos.

Valor do Day Use: R$ 150 por pessoa, sendo R$ 100 revertidos em consumação. *Valores referentes a jan/2020.

Observação: Vale lembrar que na maioria dessas praias há um rio que deságua. Ou seja, você sempre pode tirar o excesso de sal no corpo.

 

Cachoeiras de Itacaré

Não bastasse tantos pequenos rios que desaguam no mar e dão um up na nossa experiência, há ainda trilhas e cachoeiras que fazem nossa experiência em Itacaré ser única. Essa região é mesmo, capaz de agradar todos os gostos.

 

Cachoeira da Usina

Como mencionei na trilha da Praia de Jeribucaçu, essa cachoeira é geralmente visitada em “casamento” com a praia. O acesso à Cachoeira da Usina é possível de duas formas:

  1. Pela trilha que sai da praia de Jeribucaçu, corta o mangue e boa parte de mata atlântica até chegar à cachoeira, tendo um percurso total de 6 km, se considerarmos o local de partida e regresso como sendo o estacionamento;
  2. Pela rodovia BA-001, a cerca de 10 km de Itacaré. A entrada fica meio escondida, ao lado de um viaduto.

O ponto alto da Cachoeira da Usina está no percurso para chegar nela, pois a vegetação de mata atlântica é realmente de nos deixar deslumbrados. Outra grande vantagem é a temperatura da água. Gente, é bem morninha!

Desvantagem: não há estrutura alguma no local. Se bem que, para nós, isso não é bem desvantagem. 🙂

 

Dica: Há agências que fazem esse passeio, assim como guias independentes. Nós fomos com o Alexandre. O contato está logo acima, na Praia de Jeribucaçu.

 

Cachoeira do Cleandro

Também chamada de Cachoeira do Engenho. O acesso a ela dá-se por barco, canoa ou prancha de stand up. A cachoeira faz parte de uma fazenda de cacau, cravo e criação de caranguejo da espécie guaiamum, mas o acesso é por dentro do mangue. Esse passeio está entre um dos mais fenomenais de o que fazer em Itacaré, especialmente se o guia/barqueiro for conhecedor de toda aquela riqueza, que foi o nosso caso!

Nós fizemos o passeio com Sr Adilson, que é pai do Alexandre, no mesmo dia da visita à Praia de Jeribucaçu e Cachoeira da Usina. Sim, esse dia rendeu um monte. Voltamos ao hostel bem cansados, mas valeu cada segundo.

 

Como Chegar à Cachoeira do Cleandro

Para chegar à Cachoeira do Cleandro Sr Adilson nos encontrou na Praia da Coroinha, a praia dos barqueiros. De lá saímos de lancha pelo Rio de Contas. Nesse momento você se dá conta que ele é imenso.  No meio do trajeto seu Adilson “estaciona” bem pertinho do mangue vermelho e nos dá uma verdadeira aula de como ocorre o nascimento do mesmo. Enquanto ele explica, tira também um exemplar de ostra, abre e nos oferece para experimentar in natura.

 

Seguimos mangue a dentro e podemos ver de perto uma quantidade infinita de caranguejos das 3 espécies que existem em Itacaré: O Guaiamum, o Aratu e o terceiro que não me recordo agora.

 

Quando chegamos finalmente à fazenda, Sr Adilson atracou sua lancha e nos levou por uma pequena trilha até a bilheteria. Lá fizemos o pagamento de R$ 15 e subimos o percurso da cachoeira. Como já estava próximo ao pôr do sol não poderíamos ficar muito tempo. Eu estava bem animada para entrar, crente que as águas aqui seriam tão quentinhas quanto a Cachoeira da Usina, mas me enganei rs .

A Cachoeira do Cleandro é formada por 3 quedas e alguns pontos de banho. Deve ser muito boa em dias ensolarados. Nós chegamos tarde e já havia muita sombra, ainda assim, valeu a pena.

 

No terreno, há uma pequena estrutura de restaurante. Também é possível comprar “chocolate 80%” (cacau e açúcar mascavo, onde oitenta por cento do produto é feito da iguaria abundante na Bahia). Achei bem em conta os valores por aqui.

Você sabia: Para o mangue existir é necessário que haja água doce e salgada?

 

Cachoeira do Tijuípe

Com seus 15 metros de largura e 4 de altura, a Cachoeira do Tijuípe é larga e muito bonita, além de ser de fácil acesso. A estrada que leva até o espaço é a mesma rodovia BA-001, que liga Itacaré a Serra Grande. Conta com boa estrutura de restaurante e salva-vidas, além de cordas para apoio.

  • Valor: R$ 20* (jan/20).
  • Dica: Algumas agências oferecem essa cachoeira como complemento ao tour das 4 praias.
  • Relatos também afirmam que as águas aqui são morninhas. Quando você voltar, favor nos confirmar essa informação. Obrigada. De nada.

outras cachoeiras em Itacaré, como a Cachoeira Bom Sossego e a Cachoeira do Noré, mas não achei muita informação e parde delas encontra-se distante da cidade. Mas claro, se você visitar alguma que não esteja aqui, nos conte, vamos adorar saber!

 

Onde Ficar em Itacaré

Kombar Hostel

Localizado no núcleo de Itacaré, onde a vida acontece 24 horas, na badalada Rua Pituba, o Kombar Hostel é ideal para viajantes que buscam economizar, sem perder a qualidade na estadia. Perfeito para casais, viajantes solo, grupos de amigos. Aqui a vibração é muito boa, gostosa e leve.

No Kombar Hostel, menos é mais. As acomodações são simples, mas há todo o suporte necessário. Todos os quartos do Kombar são equipados com ar-condicionado.

Há ainda redes pelos corredores, chuveiro quente e o acessório que me levou de volta aos tempos da infância: um mosqueteiro.

 

O Kombar Hostel possui cozinha toda equipada, onde você pode ficar a vontade para fazer sua própria refeição. Há ainda o café da manhã vegano, que nos surpreendeu a beça. Gente, as meninas fizeram um bolo de milho que tava simplesmente divino!

O Kombar Hostel é um espaço voltado à sustentabilidade e, apesar dos responsáveis pelo espaço não comerem carne, não se incomodam com quem venha a cozinhar esse tipo de alimento, desde que no final tudo esteja limpo – como deve ser em qualquer espaço compartilhado, né povo?

 

O Kombar Hostel fica a apenas 600 metros da Praia do Resende e da Praia da Concha e 1 km da estação rodoviária. Vale muito a pena se hospedar nessa via, sempre muito movimentada, o que passa mais segurança, pois infelizmente não é seguro circular em qualquer rua de Itacaré.

Nós só temos a agradecer a Mari e ao André pelos dias que estivemos em Itacaré e todo o suporte que nos foi fornecido. Não só com relação a hospedagem, mas na indicação de agência para os passeios e dicas em geral. Parte desse post também foi criado com base nas informações que eles nos passaram.

Endereço

Rua Pedro Longo, 371, Itacaré – BA, 45530-000

Contato

@kombarbr| (73) 99119-3588

Quanto Tempo Ficar em Itacaré

Na boa, pelo menos 5 dias. Não faça que nem nós que não pesquisamos o suficiente. Itacaré é um mundo repleto de natureza, cenários paradisíacos e preservação. Fora o que há nos arredores da cidade, há também, os passeios bate e volta até a Península de Maraú e Barra Grande.

 

Onde Comer em Itacaré

A oferta de restaurantes espalhados dentro e fora da cidade é vasta. Para nós, faz parte da experiência da viagem explorar a gastronomia local. Em Itacaré, as possibilidades estão em comes e bebes, de caipirinha de cacau à verdadeiras iguarias criadas pelo fruto que compõem os doces, passando pela famosa Moqueca Baiana. Em Itacaré, se alimentar é prazeroso! E vamos às possibilidades, afinal:

 

Aqua Restaurante

Pequeno, mas não passa despercebido. Esse restaurante está localizado bem no centro. Sua decoração colorida, que muito lembra um aquário é a primeira fonte de atração.

Como não poderia ser diferente, o restaurante serve frutos do mar em pratos individuais e bem apresentados. Nós experimentamos uma paella que estava muito saborosa.

 

A casa também serve sobremesas diferenciadas. A gente acabou se aventurando em um sorvete de capim santo com calda de rapadura. Gostoso, mas não recomendado para quem não curte muito doce.

 

Restaurante Fornalha

Refeição a quilo com preço justo. Olha, eu me surpreendi com a variedade de saladas, vegetais e carnes em geral oferecidas nesse restaurante. Tudo bem quentinho e gostoso. Ambiente simples, mas excelente para quem busca variedade pagando pouco. (R$ 39,90/kg em janeiro/2020). A noite o restaurante também serve pizzas.

 

Naturalmente

Opção vegetariana super bem avaliada. Nós não somos vegetarianos, mas estamos super abertos a esse tipo de experiência. Infelizmente, não deu tempo de conhecer o local, mas as avaliações são recomendadas para o público em geral. Fica a dica para quem procura um local com proposta veg.

 

Manga Rosa

Com excelente localização, ambiente amplo, ventilado e todo arrumadinho; esse restaurante é convidativo já pela aparência. Quando estivemos lá, o atendimento foi excelente, muito cordial. Meu prato (Vulcão), era composto por arroz de açaí, camarão levemente picante e banana da terra. Estava uma delícia!

 

O que Fazer em Itacaré à Noite

A Rua Pedro Longo, famosa Pituba, é movimentada o dia inteiro, mas é ao cair da noite que ela se mostra ainda mais interessante, com suas lojinhas, bares e restaurantes.

 

Favela Coffee Chop

Bar noturno com ar descolado, todo aberto, como uma extensão da Rua Pituba. O ponto forte no Favela vai para a presença do DJ e os drinks maravilhosos preparados na hora. No Favela, você não paga atendimento ou couvert. Basta pagar sua bebida e ficar a vontade. O local abre as 18 horas.

Jungle Bar

Ambiente descontraído, bons drinks e forró! Tivemos a sorte de prestigiar um cantor excelente quando estivemos no local. Muito boa pedida para quem não resiste a um arrasta-pé.

 

Passarela da Vila

Rua repleta de bares, restaurantes e lojinhas.  O destaque fica para a noite nessa passarela, que muitos visitantes definem como imperdível.

 

Melhor Época/Clima

Como em todo o estado da Bahia, Itacaré faz sol o ano todo. É verão sempre e dificilmente você irá pegar dias consecutivos de chuvas – ou a mesma aparece em horários específicos. Pode chover em qualquer dia ou horário, mas, mais uma vez, nada que atrapalhe sua viagem por muito tempo. A melhor época para se estar em Itacaré e evitar as precipitações é entre agosto e fevereiro. Já o inverno, período em que pode haver mais precipitações, vai de março a julho.

 

O que Fazer em Itacaré em Dias Chuvosos

Caso você esteja procurando o que fazer em Itacaré durante o inverno e seja praticante de surf, saiba que é nesse período que as ondas se apresentam ainda mais volumosas e altas, chegando a 3 metros de altura. Perfeitas para quem é apaixonado pelo esporte.

Outra boa proposta de o que fazer em Itacaré a partir de Julho é a possibilidade de ver baleias Jubarte de perto, pois é quando elas saem para o acasalamento.

 

Passeios Bate e Volta

Passeio pelas Ilhas de Camamu

A Baia de Camamu é a terceira maior baia do Brasil em volume, mas aparece em primeiro lugar em preservação. Nesse passeio às ilhas, para quem sai por agência, a van faz a busca na hospedagem e, em grupo, segue até Camamu.

De lá, partem as escunas (no nosso caso, foi lancha), que passam pelas 4 ilhas, que são: Ilha da Pedra Furada; Ponta do Mutá, Ilha do Sapinho, Ilha do Goió e Goiozinho; além de uma paradinha em Barra Grande.

A agência que fechamos o passeio fica localizada na Rua Pedro Longo e nosso guia foi, mais uma vez, o Alexandre.

O passeios às ilhas toma o dia inteiro, mas sim, vale cada segundo. Tudo muito lindo, verdadeiras faces do paraíso.

 

  • A recomendação aqui é que você não se afaste do grupo, para não correr o risco de ficar para trás, pois por serem várias paradas, o tempo em cada uma delas é contado.

 

Sobre o Passeio às Ilhas de Camamu

Esse foi um dia excepcionalmente maravilhoso. Foi – quase– tudo perfeito, pois:

  • Fizemos o passeio em final de semana, dia de bastante movimento de embarcações em Camamu. Haviam algumas que destoavam totalmente do ambiente. Escunas bem grandes, lotadas de gente alcoolizada, churrasco e música péssima, muito alta. A visão do inferno em meio ao paraíso.
  • Dessa vez nosso amigo Alexandre, o guia, nos deu uma recomendação furada. Ele recomendou que nosso grupo fizesse a refeição na Ilha do Sapinho, alegando ser mais em conta e de melhor sabor. Eu ainda estou tentando entender o porquê de ele ter feito isso conosco, pois o preço era muito parecido ao praticado na Ponta do Mutá e nossa refeição bem ok, nada de sensacional. Na boa, fuja dessa ilha, não há nada demais nela.

 

Ainda assim, eu o recomendo como guia. Caso vocês queiram fazer o passeio às ilhas com o Alexandre, aproveite para almoçar na Ponta do Mutá. Qualquer coisa você diz que pegou nossa dica. Ele provavelmente vai lembrar de nós.

Agora se você quer se adiantar, garantir sua vaga e ainda parcelar em até 12x, a TourOn é perfeita para te levar. Saiba mais no link.

 

Rafting

Para quem busca esporte radical em meio à natureza. O Rafting parte de Taboquinhas, que fica a 30 km de Itacaré e é distrito da cidade. De lá, o grupo desce o rio em contato direto com a Mata Atlântica, desaguando em Itacaré.

 

Ilhéus

Se você tem bastante tempo para explorar a Costa do Cacau, Ilhéus se apresenta como outra possibilidade maravilhosa para um mergulho em história, praias e chocolate. Esse roteiro do Blog Capixaba na Estradarecheado de opções para que você consiga aproveitar bem 2 dias. 🙂

 

Península de Maraú

Agora, se seu intuito é passar longe da badalação e perto do rústico raiz, ficar na Península de Maraú é escolha certa. Esse roteiro de 4 a 7 dias na Península vai te ajudar bastante, ele foi criado pela Rayane do Blog Az Wanderlust, que morou nesse cantinho espacial por mais de 1 ano.

 

Óleo no Nordeste

Assim como em Caraíva, Itacaré foi menos atingida pelo óleo que se espalhou por diversas praias do nosso litoral. Por conta da formação geográfica, “poucos” (menos que em outras cidades litorâneas) resquícios do petróleo percorreram as praias, mas a população local fez o limpa. Nós entramos no mar, experimentamos peixes e deu tudo certo. Ainda assim, se você tiver algum receio, olhe para esse tanto de cachoeiras.

 

Responsabilidade Ambiental

Leve embora seu lixo, carregue com você um canudo reutilizável e lembre-se de que para tudo aquilo se manter é necessário que façamos a nossa parte. A Mata Atlântica é um dos biomas mais devastados de nosso país. Ainda há muita falta de fiscalização e controle sobre o que é nosso, exemplo disso é o Warapuru Resort , um mega empreendimento que começou a ser construído à beira da Praia da Engenhoca e foi abandonado.

Não vou me estender muito nesse assunto, mas há grandes empresários interessados em fazer dinheiro em troca da destruição de nossas maiores riquezas. Todos nós temos que ficar atentos, isso vale para você também.

itacare - o que fazer em - praia - surf - jeribucacu - prainha - itacarezinho - costa do cacau - ilheus - peninsula de marau - bahia - viagem barata - barra grande (44)

 

Obrigada, Itacaré!

A Bahia é realmente em pedaço do Brasil surpreendente. Quanta praia maravilhosa! Águas absurdamente transparentes e gostosas. Trilha, mata, mangue, cachoeira e muito mar. É inacreditável imaginar esse mundaréu de possibilidades.

O litoral de Itacaré faz parte de um cinturão de Mata Atlântica e é exatamente esse o motivo que faz esse cantinho baiano tão especial. Itacaré merece muito mais do que 3 dias no roteiro, pois são tantas possibilidades que o post está gigante assim não é a toa. E olha, nem vou listar tudo, não tá cabendo mais..rsrs.

E ainda tem o plus dos preços! Para quem saiu do extremo Sul da Bahia, que foi nosso caso, Itacaré foi a chance de voltar a respirar.

Itacaré, a gente vai se ver logo logo. Os planos são para este ano (#amém), pois a gente forma um casal perfeito! Você é tudo que o brasileiro precisa.

itacare - o que fazer em - praia - surf - jeribucacu - prainha - itacarezinho - costa do cacau - ilheus - peninsula de marau - bahia - viagem barata - barra grande (44)

 

Agradeço imensamente à Marina e André, do Kombar Hostel. Tanto pela parceria, quanto pela disposição em nos ajudar tirando dúvidas pontuais. Até mesmo em nos alertar sobre as irregularidades e problemas que a população local enfrenta para combater a ganância de  quem pensa que com dinheiro compra-se tudo. Até breve!


O Leve Sem Destino faz parte de alguns programas de afiliados, isso significa que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados abaixo, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter.

 

Hospedagem | Aluguel de Carros | Seguro Viagem


Mônica Rodrigues

Leonina, brasiliense de alma e coração, graduada em Administração em Comércio Exterior e apaixonada por tudo o que envolve o ramo (apesar de não atuar nele). Tem verdadeiro fascínio pelo desconhecido. Acredita que pessoas se tornam melhores ao se depararem com o externo/ diferente, o que foge da “bolha”. Se sente em paz ao viajar e carrega consigo seu namô e sua família pra onde quer que vá.

7 comentários em “O Que Fazer em Itacaré – O Guia Completo

  • Pingback:Praias - 36 paraísos litorâneos no Brasil que você precisa conhecer

  • 16 de março de 2020 em 18:11
    Permalink

    Ótimass dicas sobre Itacaré. Amei, já vou salvar aqui pra quando eu for a Itacaré. Parece ser um lindo destino.

    #vimpelokombar

    Resposta
    • 27 de março de 2020 em 12:23
      Permalink

      Hahahaha…

      Itacaré é mesmo incrível!
      Aguardando toda essa situação de pandemia passar para ver muita gente conhecendo esse cantinho da Bahia.

      Resposta
  • 8 de março de 2020 em 20:22
    Permalink

    Vem pra Itacaré? Então deixa a preguiça de lado e leia esse post todinho!!!! 😛

    Pessoal, parabéns e muito obrigada pelo post! Ficou super completo e com certeza vai ajudar demais os viajantes, algumas informações que vcs passaram são essenciais para uma viagem bem planejada e econômica, do jeito que que a gente gosta!

    Se me permitem acrescentar algumas informações na visão de uma moradora ai vão algumas dicas do que fazer:

    – a praia da coroinha é muitas vezes deixada de lado, principalmente por quem se hospeda na Pituba ou na Concha, mas é ali que vc conhece a verdadeira Itacaré. recomendo um passeio pelo fim de tarde para assistir o nascer da lua cheia ( impressionante), comer o melhor acarajé da cidade ( acarajé do bira) e observar o movimento dos moradores: crianças jogando bola, adultos praticando exercicios, barqueiros indo e vindo e etc… ali perto também fica o centro cultural porto de trás onde vc pode conhecer um pouco mais da cultura de itacaré, além de ter uma linda do rio! Na orla também é possível fazer um passeio de barco (ou caiaque ou canoa havaiana) e explorar um pouco do rio de Contas. Assistir o por do sol do rio é muito especial, vale a experiência!

    Além de todas atividades \atrativos listados no post, deixo aqui outras opções do que pode ser feito em Itacaré : circuito de arvorismo, tirolesa, rapel, visita as fazendas de cacau, rafting, canoa havaiana, aulas de yoga, SUP yoga, aulas de surf e aulas de culinária baiana. Essa última opção é ofertada no kombar mesmo e eu ensino como preparar a autêntica moqueca baiana em versão plant based. os interessados podem me procurar (73) 99119 3588. Com certeza eu to esquecendo de muita coisa pois itacaré é assim, cheeeeia de coisas pra fazer, sempre tem uma novidade!

    Mais uma vez, obrigada demais Mônica e Fábio!

    abraços,
    Marina ( em nome de toda equipe Kombar! )

    Resposta
    • 16 de março de 2020 em 17:05
      Permalink

      Marianaaaa, obrigada você pela colaboração! 🙂

      Pra você ver, o post tá imenso e ainda falta coisa. Êta que Itacaré é um mundo! rsrs…
      Nosso maior pecado foi ter ficado tão pouco tempo, mas já aprendemos, vai ter bis muito em breve, se o destino nos permitir <3.

      Outro abraço pra você e toda essa equipe super gente boa!

      Resposta
  • 11 de fevereiro de 2020 em 15:07
    Permalink

    Itacaré…<3 Não tenho nem palavras para descrever esse paraíso baiano. É um lugar mágico. O seu roteiro ficou completão, Moniquinha. Um beijo

    Resposta
    • 12 de fevereiro de 2020 em 13:48
      Permalink

      Benhêee, brigadinha <3

      Essa região é incrível né? E ainda pouco divulgada. Bom procê que é vizinho capixaba.

      Beijãooo

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *