Alter do Chão – As praias de águas doces mais bonitas do Brasil!

Alter do Chão – O Caribe Amazônico

 

Setembro de 2016

“Inacreditável saber que um lugar tão bonito seja desconhecido da grande maioria dos brasileiros. Uma praia de areia branca em um rio de águas transparentes. Um dos lugares mais bonitos que já fui até hoje.”

“Praia de água doce mais linda que já conheci. As águas do Rio Tapajós, tem uma temperatura super agradável e é perfeita para um banho ultra relaxante. Simplesmente um encanto!!”

“(…) Lugar maravilhoso, com uma paisagem indescritível e com uma grande variedade de passeios mágicos por praias, lagoas, floresta, igarapés, comunidades ribeirinhas, etc. Um povo hospitaleiro, simpático e gentil,que se aproxima do turista como um velho amigo, para prosar, ajudar e agradar. Uma gastronomia regional sadia e deliciosa! Suas diversas praias: Ilha do Amor, Pindobal, Ponta de Pedras, Ponta do Cururu, etc. são excepcionais. Acho que são as mais belas praias fluviais do mundo! Vale conhecer este lugar tão pouco divulgado pelos agentes de turismo. Vá tranquilo! Você encontrará Hotéis e Pousadas simples, mas com o conforto necessário para uma boa estada. Você não vai se arrepender!”

“Um dos locais no Brasil que estrangeiro conhece mais do que brasileiro . Praia de areia branca , fofa , com água limpa e transparente para relaxar e apreciar a beleza da natureza . Você nunca passará frio pois a água está sempre quente . E não ficará com olhos ardendo porque é de água doce .”

Fonte: TripAdvisor. 

Olá queridos leitores,
Eis aqui nós novamente, trazendo um conteúdo quentíssimo, não só por ser o primeiro sobre esse Paraíso Paraense, mas por ser equivalente ao clima da região. E põe quente nisso! Estamos falando agora desse Caribe amazônico. Mais um, porque nosso país é assim, simplesmente recheado das maiores maravilhas existentes na esfera! Deus quando fez o Brasil tava inspirado! Imagina você, em uma única região ele colocou o açaí, o Jambu, o Cupuaçu, o Taperebá, o tucupi, o murici. Encheu aquelas águas de peixes tambaqui, pirarucu, piracuí… E não satisfeito, nos presenteou com um verdadeiro oceano de águas doces!!Rio Tapajós, com seus 1900 km de comprimento, ali deságua no Amazonas.Talvez vocês já tenham visto a seguinte matéria: Alter do Chão – A primeira entre os dez lugares com as praias mais bonitas do Brasil, segundo o jornal inglês The GuardianPois bem, fomos pesquisar e descobrimos através de uma postagem do Viaje na Viagem que ela não exatamente é a primeira, mas está entre as dez (com merecimento!). Para saber melhor o ocorrido, sugerimos que vejam a postagem linkada acima. A matéria sobre Alter (Tradução livre):

 

Alter do Chão, Pará:

A melhor praia do Brasil não está no Rio de Janeiro ou no Nordeste banhado pelo sol. Nem mesmo na costa. Está em um rio no coração da floresta amazônica, por volta de 30 km da cidade de Santarém. Alter do Chão é a resposta da floresta para o Caribe. Depois de uma semana enfurnado na selva, Alter do Chão é o local perfeito para relaxar: você pode descansar nas praias de rio de manhã, empanturrar-se em algum restaurante de peixe grelhado a tarde e retirar-se para uma das muitas pousadas charmosas da região a noite. As pessoas sempre chamam a Amazônia densa e úmida de “Inferno Verde”. Alter do Chão é seu paraíso dourado.

O Leve Sem Destino concorda praticamente com todas as considerações do jornal, exceto: Inferno Verde? Nunca ouvimos tal expressão, nem sequer por um nativo. Mas tá né?! (rs)

Boas as considerações desses gringos. Acho super válidas. Mas amigo(a), deixe a gente te contar uma coisa, eles não sabem de nada.

Oxente, como assim?! Segue a postagem… Nosso desafio agora é te convencer de que você deve colocar o Oeste Paraense na sua wishlist, pra ontem! Alter do Chão vai estar no topo ou não me chamo Fernanda. (Hum?) 

Antes de falar sobre as praias quero dizer que esta foi minha terceira visita à região. A primeira vez eu tinha 11 anos, tenho poucas lembranças. A segunda em Dezembro de 2014 e a terceira agora. Eu tenho um motivo forte para estar visitando Santarém e Alter sempre que possível: tenho parentes lá.

 

Como ir:

De avião, você desce no aeroporto de Santarém. Daqui até Alter, a maioria dos viajantes pede um táxi. São 37 km. A viagem sai perto dos R$: 100 reais. Também há ônibus, mas “tem que ter disposição” para andar neles, pois o calor é MUITO intenso, e duvido muito que eles sejam equipados com ar-condicionado.

Nós mais uma vez alugamos um carro, o Avexado..rs. E valeu muito a pena, até porque tínhamos de nos deslocar até Santarém para alguns eventos de família.

 

Antes de mais nada, você deve saber que a rotina de Alter do Chão é ditada pelas águas do tapajós.

 


Praias
Ilha do Amor

O cartão postal, principal praia do lugar, de acesso facílimo. Esta praia e algumas situadas bem perto da Vila aparecem no período de vazante do rio Tapajós – entre os meses de agosto a dezembro – Verão paraense.

A travessia para a Ilha dá-se por barquinhos (Catraias). R$:5,00 com capacidade para até 4 pessoas.

Possui estrutura básica: quiosques que servem comida, bebidas e mesas com guarda-sóis. Por ser ilha não possui banheiros (até porque boa parte do ano a ilha fica totalmente coberta pelo rio), mas tem químico. 

Possui um visual de tirar o fôlego. As águas mornas do Tapajós são um convite ao total relaxamento.

 

Dicas:

1) Nesta ilha ou em qualquer local da região, se você é adepto da cervejinha, peça Tijuca. Ela é da fabricante Cerpa e nós adoramos!
2) Não deixe de experimentar também o Charutinho – Um peixinho regional servido frito, bem crocante.
3) Leve dinheiro em espécie, os quiosques da ilha e de outras praias ainda não aceitam cartões, apenas os estabelecimentos da praça de Alter.
4) Evite ir aos finais de semana, pois lota e vira “farofada”.

 

Queremos muito visitar Alter em época de cheia, mas antes do nível do tapajós chegar ao máximo.

 


Praia de Pindobal

Distante 7 km de Alter e pertencente ao município de Belterra é uma praia de beleza ímpar!

O acesso é possível de barco ou carro. No período de vazante (Verão paraense), apresenta uma extensa área de praia de água doce.

A Praia de Pindobal possui estrutura de quiosques e pequenos restaurantes de comida simples mas deliciosa. Todas as vezes que fomos a Pindobal a praia estava praticamente deserta, ou seja, ali você relaxa nem que seja “na marra”, se entrega a toda aquela paz! Não sei dizer em qual momento aquela praia fica movimentada, pois da última vez que estivemos lá durante o dia, era sábado e estava assim:

Dica: Peça Tijuca, charutinho e seja feliz!

 


Praia de Ponta de Pedras

Distante quase 30km da Vila de Alter, o acesso é possível de duas formas: Carro ou barco. Fomos no Avexado.  O caminho é praticamente metade estrada de asfalto, metade chão batido.

O atrativo em si é completo. Que praia maravilhosa! Fomos em uma quarta-feira e havia poucas pessoas por ali. Chegamos com nosso isoporzinho. Mas logo pedimos mais cervejas. Também pedimos petiscos, dentre eles o famoso Charutinho. Mais tarde almoçamos… e que almoço! O que era aquilo? Um verdadeiro “orgasmo gastronômico”. O fato de estarmos famintos ajudou, claro. Mas a refeição era realmente saborosíssima! Estávamos com dois casais de paulistas, todos, sem exceção, piraram! Nós experimentamos pela primeira vez o arroz paraense. Recomendo muito. Tem camarão, tem jambu e tem um tempero nota 10! Sério, foi uma das melhores refeições que fiz lá, se não a melhor.

Dica: Para experimentarem esse almoço procurem o Quiosque do Nivaldo.

Finalizado o almoço, nos deitamos debaixo de algumas árvores. Como o sol já ameaçava descer no horizonte (Almoçamos por volta das 16 hrs), peguei as câmeras e fui para meu exercício de contemplação. 🙂

 


Praia de Aramanaí

Distante 30km de Alter, o acesso é possível de barco (lancha – também chamada de Voadeira pelos nativos) ou por via terrestre, carro. Caso você tenha interesse em ir de automóvel, recomendamos uma 4×4, pois algumas partes da estrada são chatinhas.

Outra praia daquele jeito que a gente gosta, para chamar de sua! Praticamente deserta, mesmo aos finais de semana. Rodeada por areia fina e branca, águas mornas e cristalinas do maravilhoso Tapajós. Barraquinhas de palha ajudam a se refugiar do solzão. Há também um espaço providencial para redes. Iluminado seja o ser que pensou nisso. rs. Não deixe de levar a sua.

Não posso opinar sobre o almoço servido no pequeno estabelecimento dali, mas os petiscos são bons.

No mais, dê uma conferida nas fotos. 🙂

 

Dica: Leve dinheiro em espécie. Aqui também não aceita cartões.

 


Ponta do Cururu

Ponta da paz e sossego. Completamente deserta, não possui quiosques ou ambulantes (leve seu lanche e água). Mas possui uma posição privilegiada para apreciar o pôr do sol. É também um local habitado por botos, que podem dar o ar da graça a qualquer momento.

Dependendo da época você encontra essa enorme faixa de areia parcialmente coberta pela água. Estávamos na temporada certa para isso.

 


Todas as praias citadas aqui possuem belezas ímpares. Há quem defina as belezas de Alter como algo exótico. Eu digo que há mais, há algo maior do que algum adjetivo consiga expressar. Há INTENSIDADE e natureza em seu significado mais profundo!

O Oeste paraense tem tanto a ser explorado e é tão pouco conhecido pelos brasileiros, e tão valorizado pelo povo estrangeiro, que chega a dar um pouco de desânimo, mas só um pouquinho sabe?! Porque eu sei que te convenci. :]

E aí, pra quando tá marcada sua trip? Fala pra gente! Nós ainda te ajudamos com informações extras, basta nos chamar!

E não deixe de acompanhar os próximos capítulos, pois sim, ainda mostraremos outros tantos atrativos, vai anotando: Tem FLONA – Floresta Nacional do Tapajós, tem Sumaúma Gigante, tem banho em Igarapé cristalino, tem Igapó.

Ficou curioso né? Veja um pouquinho no vídeo que fizemos:


sudeste asiatico, por onde comecar - tailandia - laos febre amarela - anvisa

O Leve Sem Destino faz parte de alguns programas de afiliados, isso significa que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados abaixo, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter.

 

Hospedagem | Aluguel de Carros | Seguro Viagem | Chip 4G

Gif por Marco Martina


Mônica Rodrigues

Leonina, brasiliense de alma e coração, graduada em Administração em Comércio Exterior e apaixonada por tudo o que envolve o ramo (apesar de não atuar nele). Tem verdadeiro fascínio pelo desconhecido. Acredita que pessoas se tornam melhores ao se depararem com o externo/ diferente, o que foge da “bolha”. Se sente em paz ao viajar e carrega consigo seu namô e sua família pra onde quer que vá.

38 comentários em “Alter do Chão – As praias de águas doces mais bonitas do Brasil!

  • 19 de junho de 2017 em 07:59
    Permalink

    Irei a Alter do Chão em setembro! Este relato me deixou ainda mais animada! Como irei com minha filha que tem menos de dois anos, estou pensando na possibilidade de alugar carro. O acesso à praia de Pindobal e à praia de Ponta das Pedras é fácil para carro comum? Os estacionamentos são bem perto das praias? Qual a duração do trecho de lancha para a praia de Aramanaí? Você saberia me dar uma referência de preço para este passeio? Ponta de Muretá você conheceu? Sabe se o acesso é só por barco e qual seria a duração? Ih, acho que exagerei na quantidade de perguntas, rs. É a empolgação com o planejamento! 🙂

    Resposta
    • 19 de junho de 2017 em 09:27
      Permalink

      Olá, Ceres.

      Entendo sua animação e já adianto que você vai em um excelente mês! 😀 E faz bem em alugar um carro.

      Respondendo suas perguntas:
      1- O acesso à praia de Pindobal e à praia de Ponta das Pedras é fácil para carro comum?
      Sim. Há estrada de terra para ambas, mas nada muito complicado. O carro que alugamos era um Uno 1.0 e deu conta. A praia que sentimos mais dificuldade no trajeto foi Aramanaí. Caso você queira conhecer ela recomendo que vá com mais alguém que possa ajudar caso o veículo atole ou você fique insegura se o caminho está correto.
      2-Os estacionamentos são bem perto das praias? Sim. A poucos passos da grande maioria das praias. A praia de Ponta de Pedras tem uma grande extensão de areia (quando o nível do Tapajós diminui), então, chinelos nos pés e muito protetor solar em você e no bebê. Além de bonés.
      3-Qual a duração do trecho de lancha para a praia de Aramanaí? Bem, esse passeio fizemos de carro (sim, mesmo sendo 1.0 ele deu conta…rs). Então não sei dizer ao certo, mas essa resposta você consegue fácil, com qualquer barqueiro de Alter do Chão. Eu chuto meia hora, mas realmente não posso confirmar.
      4-Você saberia me dar uma referência de preço para este passeio? Então. Quando fomos á FLONA o barqueiro (seu Siqueira o nome dele) cobrou R$: 400, para nós 2, já incluído o almoço na comunidade Jamaraquá (estou devendo esta postagem por escrito, perdão! rsrs).
      Foram 2 horas de deslocamento, ida e volta. Acredito que você consiga algo por um preço semelhante. Mas veja, lá eles fazem muitos passeios combinados, nós fizemos um assim. Ex: Pindobal + Aramanaí + Ponta do Muretá +… (5- Que, infelizmente, não conhecemos.). Entendeu? E super vale a pena! Pra passar o dia inteiro.
      6- Sabe se o acesso é só por barco e qual seria a duração? A Ponta do Muretá, como disse, não conhecemos. Mas acredito que seja sim só por barco.

      Espero ter sanado boa parte das suas dúvidas. E dica: Se você tiver pouco tempo em Alter: Feche um passeio combinado, você conhece muitas praias em um só dia. Agora, caso contrário, vá de carro a Ponta de Pedras, Pindobal, Casa do Saulo (também temos que falar desse local, a publicação está quase pronta…rs), e não esqueça de passar hooooras na Ilha do Amor (de preferência, nos dias de semana).

      Se você ainda tiver alguma dúvida, pode perguntar. Eu estou em débito com os meus leitores por não ter postado os outros tantos atrativos que existem ali. Alter é uma riqueza sem fim! 🙂

      Resposta
      • 19 de junho de 2017 em 09:49
        Permalink

        Fiquei feliz com uma resposta tão completa!! Muito obrigada!!! É uma grande ajuda! Ficarei uma semana, então acho que vai dar pra conhecer as praias com calma… Esses passeios de dia inteiro acho que serão cansativos pra minha filha, então pensei em fazer um passeio mais curto pela manhã, iria só pra praia de Aramanaí ou ponta de muretá, por exemplo. Mas aí vai depender do preço que o barqueiro irá cobrar pra isso… Estou ansiosa pra ler o post sobre Casa do Saulo! Nunca tinha ouvido falar! Mais uma vez, muito obrigada pela sua resposta!

        Resposta
        • 19 de junho de 2017 em 10:07
          Permalink

          Imagina, é um enorme prazer ajudar. Ainda mais sabendo que você vai visitar esse lugar tão abençoado!

          Outra coisa sobre a Ponta do Muretá: tanto ela quanto a Ponta do Cururú são locais que o pessoal visita no finalzinho da tarde para contemplar o pôr do sol. As águas vão estar sempre em uma temperatura super gostosa, mas leve um casaquinho pra sua baby, para que ela não passe frio no trajeto. Especialmente no retorno.

          A Casa do Saulo: Trata-se de um restaurante que fica bem próximo de Santarém, as margens do Tapajós. A comida servida ali é saborosíssima e o espaço é um convite para uma tarde inteira preguiçosa. Há pufes, piscina e uma ampla área verde… Ai, só de lembrar dá saudade! Preciso agilizar o post! hehehehe

          Outra observação importante: Veja se as datas que você vai não coincidem com o Sairé, que vai ocorrer entre os dias 21 a 25 de setembro deste ano. O festival é bem bacana, mas é alta temporada, logo o turismo aumenta e os preços tbm…rs.

          Grande abraço! 🙂

          Resposta
          • 19 de junho de 2017 em 10:25
            Permalink

            Excelentes dicas!! Estou ansiosa pra chegar logo! Estarei lá de 23 a 30 de setembro, logo pegaremos dois dias bem movimentados, mas depois teremos outros 4 mais tranquilos… Nos dias do Sairé penso em fazer os passeios de carro para as praias pindobal e ponta das pedras. E nos dias tranquilos, praia do amor, Casa do Saulo e passeios de barco! O que acha? 😉

          • 19 de junho de 2017 em 11:02
            Permalink

            É uma boa ideia. Mas assim, Ponta de Pedras deve ficar um tanto lotada, pelo acesso ser fácil e ser próxima de Santarém. Talvez Aramanaí seja uma pedida melhor…e não deixe de pechinchar com o barqueiro, quem não chora, não mama. rsrs E olha, eu nunca peguei a praia de Pindobal cheia, vale a pena tentar.
            Eu iria a Ponta de Pedras, Ilha do Amor e Casa do Saulo durante a semana, entre segunda e quinta, fora da temporada do Sairé. Vou te confessar, se você falar com um nativo sobre as opções de locais, você vai ficar maluca e querer conhecer tudo…rs.

            Já que você tá procurando dicas, tem mais aqui no blog de uma amiga minha que foi quase na mesma época que nós: https://viajantecomum.com.br/2016/11/01/alter-do-chao/

            Mas calma, já coloque na mente que não vai dar pra conhecer tudo…triste né? hehehe

            Existem também outros estabelecimentos de comida saborosa: O Restaurante Caranazal e a lanchonete X-bom. Ambos em Alter.

            Eu tô só aumentando sua ansiedade. hehehe… 😉 :*

          • 19 de junho de 2017 em 11:10
            Permalink

            Nossa! Cheguei a pensar que uma semana pudesse ser muito tempo, mas agora estou vendo que é pouco! Kkkk. Vou seguir sua dica de deixar Ponta das Pedras para um dia de pouco movimento então! Outra dúvida: o estou pesquisando sobre o acesso à Casa do Saulo e pelo visto o acesso de carro é bem difícil. É isso mesmo??

          • 19 de junho de 2017 em 11:21
            Permalink

            Hummm…. Agora vc me pegou de novo. Nós fomos a Casa do saulo de barco, nesse esquema “combo vários lugares em um dia”. Assim, minha prima que mora em Santarém foi de carro na virada do ano, eu vi por uma foto que ela postou. Eu acho que vale a pena tentar. Por precaução, converse com um nativo antes, sobre as condições da estrada. Eles são melhores que qualquer guia. <3

            Se você quiser acompanhar nossas próximas publicações e ver quando a segunda postagem sobre Alter estará pronta, temos conta no Facebook e no Instagram (@levesemdestino) Lá eu aviso sobre cada post novo. Prometo terminar o que tô devendo até Julho. Você me deixou animada! 😀

          • 19 de junho de 2017 em 11:50
            Permalink

            Nota 10 pro seu blog, Mônica! Parabéns! Adorei o vídeo! Estou super animada com essa viagem!

          • 19 de junho de 2017 em 17:49
            Permalink

            Ceres, obrigada! É muito bom receber feedbacks tão positivos assim. Dá até uma animada no dia…hehehe
            😀

        • 19 de junho de 2017 em 11:31
          Permalink

          Hahaha. Que bom que te animei! Aguardo o post então! Um abraço

          Resposta
  • 14 de janeiro de 2017 em 20:00
    Permalink

    Não conhecia esse lugar, mas agora tô curiosíssima pra visitar! E se eu mostrar pro meu marido que é louco pra conhecer essa região, então…

    Resposta
    • 17 de janeiro de 2017 em 16:22
      Permalink

      Olá Roberta! Vale muito a pena. Você e seu marido irão amar. Depois volte aqui pra nos contar. 😉

      Resposta
  • 14 de janeiro de 2017 em 19:29
    Permalink

    Que lugar lindo!
    Já tinha ouvido falar, mas nunca pesquisei sobre afundo. Agora to morrendo de vontade de ir!!

    Resposta
    • 17 de janeiro de 2017 em 16:23
      Permalink

      Olá Patrícia! Já tá na sua lista? rsrs Se não tá ainda, coloque, porque é muito bom. Totalmente diferente de outras experiências. 😉

      Resposta
  • 14 de janeiro de 2017 em 10:58
    Permalink

    Confesso que sou uma dessas que AINDA não conheceu esse paraíso, mas em 2017, com o tanto de feriado que tem, vai ter que sair! Rs

    Resposta
  • 14 de janeiro de 2017 em 10:03
    Permalink

    Que lugar impressionante! Adorei as fotos!
    Temos tanto para conhecer aqui no Brasil, esse lugar sem duvidas esta na minha wishlist.

    Resposta
    • 17 de janeiro de 2017 em 16:26
      Permalink

      Olá Juliana! Modéstia à parte, as fotos estão bem bonitas mesmo rsrs. Pois é, temos tanta coisa no Brasil que não nos damos conta, né?! 😉

      Resposta
  • 14 de janeiro de 2017 em 09:57
    Permalink

    Adorei o post. Tenho muita vontade de conhecer a Amazônia e seus texto me deixou com mais vontade! Suas dicas são excelentes!!! Parabéns.

    Resposta
    • 17 de janeiro de 2017 em 16:29
      Permalink

      O norte do nosso Brasil é realmente surpreendente Alessandra. Que bom que nossos textos te influenciaram positivamente. Agora, vá e volte para nos contar de sua experiência. 😉

      Resposta
  • 14 de janeiro de 2017 em 01:53
    Permalink

    Parabéns pelo post e pelas fotos! Esse lugar é realmente lindo!
    Confesso que não conheço nada do nosso nordeste e sei que preciso muito! E deixarei esse paraiso em minha lista!
    😉
    Muito obrigada por compartilhar!

    Resposta
    • 17 de janeiro de 2017 em 16:31
      Permalink

      Obrigado Juliana! Conheça mesmo. Porque paraíso, é o que mais temos aqui no nosso Brasil. 😉

      Resposta
  • 14 de janeiro de 2017 em 00:51
    Permalink

    Adorei o termo ‘Caribe Amazônico’ e agradeço a vocês por terem divulgado mais esta atração do nosso país. Estou na lista dos que já ouviram falar, mas não fazia a mínima ideia de como seria! 😉

    Resposta
    • 17 de janeiro de 2017 em 16:35
      Permalink

      Obrigado Gabi. Esse termo é ótimo mesmo. E quando você vai pra lá, que realmente entende o valor dessa expressão. E que bom que você conheceu através de nós. Adoraríamos ler mais um comentário seu, se um dia você for, contando como foi sua experiência em Alter do Chão. 😉

      Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 21:06
    Permalink

    Esse lugar é um paraíso, deve ser ótimo pra relaxar e ainda bem que você falou dele, Mônica! 🙂
    Ah, e me apaixonei pela praia de Pindobal!

    Resposta
    • 18 de janeiro de 2017 em 08:57
      Permalink

      Tatiana, esse é o local perfeito para se desligar do resto do mundo! E Pindobal é uma prainha linda mesmo, que está sempre bem vazia, sem muvucada. (Nós, pelo menos nunca a vimos cheia)

      Vá, e deixe o Pará surpreender você! 😉

      Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 13:25
    Permalink

    Que guia completo, Mônica!!!
    Nunca esteve entre meus sonhos de viagens, mas tem se falado tanto de lá ultimamente, né?

    Pelo que li não é a água clara, é a experiência do intenso contato com a natureza!

    Parabéns!!

    Resposta
    • 18 de janeiro de 2017 em 09:03
      Permalink

      Destinos e afins, obrigada!

      Então, olhando por cima de todo o rio a água é escura, mas há partes específicas (como os igarapés da FLONA – Floresta Nacional do Tapajós – por ex, que a água é bem clarinha!). Fico muito feliz que tenha gostado, mas olha, ainda devo postagem sobre os outros atrativos! Essa região tem MUITA coisa. É floresta, cultura, culinária…. Sim, o contato é intenso. Vá, e volte para nos dizer o que achou!! 😀

      Grande abraço!

      Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 11:30
    Permalink

    Como tem coisa bonita por esse Brasilzão que muita gente não conhece. Eu não conhecia esse destino. Adorei que tenham compartilhado. Anotado!!!

    Resposta
  • 13 de janeiro de 2017 em 11:03
    Permalink

    Que lindas fotos! Adorei as dicas! Eu quero muito conhecer mais do Brasil e esse destino com certeza já entrou na minha lista!

    Resposta
    • 17 de janeiro de 2017 em 16:40
      Permalink

      Olá Mariana! Nosso Brasil tem coisa muito bonita pra conhecermos, né? Esse é um belo exemplo. Quando for, volte aqui pra nos contar! 😉

      Resposta
  • 18 de dezembro de 2016 em 17:25
    Permalink

    Adorei o blog, Fábio e Mônica! Lindas fotos, texto que te faz vislumbrar as paisagens e conteúdo bem organizado. Parabéns, voltarei várias vezes aqui! 😀

    Resposta
    • 18 de dezembro de 2016 em 17:29
      Permalink

      Marcelinhoo, seu lindo! Obrigada. E volte sempre sim, será um prazer enorme recebê-lo aqui! 😆
      Beijãoo

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *