Piscinas Naturais de Porto de Galinhas

Domingo, 20 de março – Sobre a nossa péssima primeira impressão da Praia da Vila

Naquela noite dormi muito mal. As coceiras se multiplicavam horrores! De manhã eu já não me aguentava, e a hipersensibilidade tornava impossível vestir um short jeans. Foi então que Fábio pesquisou no Google sobre algum remédio que aliviasse as coceiras. Eu sei gente, se auto medicar não é legal, mas…. Descobrimos um remédio indicado por outra pessoa que teve Dengue. “É esse!” – Fábio foi até a farmácia, trouxe o bendito. Tomei e melhorei bastante. O problema é que um dos efeitos colaterais que o remédio pode causar é o sono excessivo, não deu outra, apaguei. Enquanto Fábio ficou na rede tomando cerveja e imaginando as piscinas naturais de Porto de Galinhas.

A tarde, eu já me sentia bem melhor e resolvemos conhecer a Praia da Vila. Nossa primeira impressão não poderia ter sido pior!

Chegamos e a maré estava super alta, cobrindo boa parte da areia. Sensação de aperto, pois as cadeiras e guarda-sóis estavam muito próximas umas das outras. Chão sujo, mesmo com diversas lixeiras disponibilizadas. Mas o pior de tudo: o TEMPO TODO, enquanto caminhávamos em busca de um local para ficar, os garçons nos abordavam. E sempre com a mesma conversa: “Não precisa pagar nada pela barraca, vocês só precisam consumir um petisco…”. Aí você pergunta o valor dos petiscos: R$:75 o mais barato! E você acha que vem junto pelo menos uma pequena porção de arroz?! Pois é, não tem! Apenas frituras! Peixe frito, mandioca frita, batata frita e colesterol lá nas alturas!

 

Ponto negativo de Porto de Galinhas

Olha, haja paciência para dizer “Não, obrigada” o tempo todo. Você constantemente é abordado também por buggueiros, vendedores ambulantes, garçons dos restaurantes…enfim, um ponto de extremo Turismo de massa. Paciência, estávamos de férias, tentamos abstrair…rs.

A noite, voltamos ao centro e escolhemos um local com música ao vivo. O lugar era 3 em 1 (Pizzaria Paulista, Temakeria do Porto e Chopperia). Ficamos lá por um bom tempo. O temaki estava gostoso, mas os preços não são atraentes.

Abaixo algumas fotos que resumem o dia. A primeira foi a sobra do nosso petisco. Isso mesmo! Um absurdo eles não terem opções mais em conta para duas pessoas! (E ainda que fossem 4, R$: 80 em “uma ruma de fritura” é de quebrar as pernas!)

Segunda-Feira, 21 de março – Piscinas Naturais de Porto de Galinhas.

Ok Porto, vamos fazer as pazes?!

Nesse dia acordamos cedo, longe de coceiras (Ufa!), tomamos nosso café e seguimos rumo à praia da vila. Lá, iríamos pegar a jangada para as piscinas naturais de Porto de Galinhas. Chegando ao local de onde partem os jangadeiros, você paga sua entrada em um guichê e pronto. Eles te encaminham. Nesse dia a maré estaria mais baixa as 8:50.

Quando nos deparamos com aquela água ficamos boquiabertos, já imaginando as piscinas naturais de Porto de Galinhas! Nem de longe parecia com aquele mar mega agitado e turvo da tarde de domingo.

Seguimos com o jangadeiro até os arrecifes que formam belos “aquários desenhados”. Quando há maré baixa, os peixes ficam retidos ali, formando um cenário lindo. Já dando uma prévia do que são as piscinas naturais de Porto de Galinhas.

Após observarmos os aquários, o jangadeiro nos levou para a parte mais esperada e divertida: as piscinas naturais de Porto de Galinhas! Amigo(a)s, tenho que confessar, todas as piscinas naturais que conhecemos na região são de deixar qualquer um maluco de tanta beleza. Mas as piscinas naturais de Porto de Galinhas…essas colocam muito Caribe no chinelo!

Ainda não acredita?! Dê um clique em cada uma das fotos abaixo…e sinta sua alma implorando por umas férias nesse lugar! 😉

 

Após todo esse momento de diversão e contato com a vida marinha nas piscinas naturais de Porto de Galinhas, voltamos à Orla para sermos novamente abordados incansavelmente pelos garçons. Como não somos obrigados a nada (rsrs), optamos por colocar nossas coisas em cima de um coral que estava exposto na beirada, e ficamos ali curtindo a água calma e morninha. A maré já estava subindo, mas o processo é lento, o que é ótimo e garante algumas boas horas de puro relaxamento.

Quando a maré já tinha subido consideravelmente, voltamos a orla em busca de algum restaurante localizado ali, na beira. Enquanto caminhávamos e respondíamos “não, obrigada” aos garçons citados acima, encontramos o tão esperado restaurante. Eu já tinha lido sobre o Peixe na Telha no Tripadvisor, não tive dúvidas que queria fazer nossa refeição naquele local. Se é para gastar perto de R$: 100, que seja com uma refeição completa e não petiscos fritos.

Dicas:

1- Acho que já falei aqui em alguma postagem, mas falo novamente para deixar claro: Porto de Galinhas é local de extremo turismo de massa. Se você não gosta de lugares lotados, vá durante a semana e fora de alta temporada;

2- Mais uma vez: leve seu Snorkel, você não vai se arrepender!

3- Não esqueça sua câmera fotográfica, jamais! Vale a pena comprar uma capa a prova d’água para sua câmera ou celular.

 

A tarde nosso plano seria conhecer a Praia de Macaraípe, mas só de imaginar outro local onde se cobra por tudo, desanimamos. Depois do almoço voltamos à pousada e ficamos naquela vida difícil dentro da piscina…rs. Por volta das 15h dei uma espiada no instagram (segue a gente povo: @levesemdestino) e vi na página @portodegalinhas que dali uma hora haveria nascimento de tartaruguinhas!! (Ounnnnnnnnnn!!)

Mas como assim, nascimento de tartarugas com hora marcada?! Calma, vou explicar.

 

Projeto Eco Associados

Em 1998, um grupo de pesquisadores e estudantes percebeu a necessidade de proteger as tartarugas marinhas que utilizavam as praias de Porto de Galinhas para desovar. Em 2003, foi fundada a ONG Ecoassociados, organização sem fins lucrativos, resultado da continuidade das atividades de conservação. A instituição vem atuando na conservação de tartarugas marinhas em Pernambuco/Brasil através do monitoramento das áreas de desova e reabilitação de tartarugas marinhas, gestão e educação ambiental gerando conhecimento científico sobre os ecossistemas e a biodiversidade local. Atualmente a sede da ONG está localizada em Porto de Galinhas e funciona diariamente com atendimento ao público no Museu de Tartarugas Marinhas, contando com grande rotatividade de visitantes e uma equipe de 27 profissionais que garantem a continuidade das atividades do projeto (Fonte: Facebook).

Sobre o nascimento:

De acordo com o que foi nos explicado no dia, a ONG faz o monitoramento das áreas onde acontece a desova e através disso calcula entre 45 e 60 dias (a depender da espécie) a provável data do nascimento.

Nós não sabemos ao certo como eles tem a exatidão da data que as tartaruguinhas saem de seus ovos, mas isso é controlado direitinho pela ONG. Quando a mãe tartaruga deixa seus ovos, o pessoal coloca uma tela, para que no nascimento exato elas não saiam. Oi?! Isso mesmo, geralmente as recém-nascidas saem de suas cascas durante a noite, o problema é que a luz não natural (de postes, lâmpadas em geral) desorienta os pequenos seres, dessa forma, ao invés delas seguirem para o mar, elas saem andando a esmo e isso é grave, pois os pequenos animais são extremamente frágeis!

Continuando, a tela fica ali até o momento do nascimento. Quando elas nascem, no dia seguinte (durante a tarde geralmente), os associados se unem, preparam o terreno, cercam a área e, por fim, retiram a tela. Nessa hora dezenas de tartaruguinhas seguem para o mar. Abaixo algumas fotos desse momento lindo e delicado.

O Trabalho dessa associação é de valia inestimável!

Para saber mais sobre o Ecoassociados, não deixe de curtir a página deles no Facebook. Especialmente se você planeja passar uns dias em Porto de Galinhas, quem sabe você não dá uma sorte dessas, como nós?!

Eles também possuem uma sede, que infelizmente não conhecemos. Não deu tempo…snif.

Segue o endereço: Rua Caraúnas S/n. Praça 4. Porto de Galinhas, Ipojuca. Contato: (81) 3552-2465

Quer saber mais?! Clica aqui

Naquela noite fomos novamente ao Centro, compramos galinhas pra todo mundo…rs e jantamos no La Crêperie. 

Curioso para saber como continua nossa aventura?! Calma, logo, logo tem mais!!

São Miguel dos Milagres está por vir, com muito amor!


sudeste asiatico, por onde comecar - tailandia - laos febre amarela - anvisa

O Leve Sem Destino faz parte de alguns programas de afiliados, isso significa que se você fizer sua reserva através dos links parceiros encontrados abaixo, nós ganhamos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter.

 

Hospedagem | Aluguel de Carros | Seguro Viagem

Gif por Marco Martina


Mônica Rodrigues

Leonina, brasiliense de alma e coração, graduada em Administração em Comércio Exterior e apaixonada por tudo o que envolve o ramo (apesar de não atuar nele). Tem verdadeiro fascínio pelo desconhecido. Acredita que pessoas se tornam melhores ao se depararem com o externo/ diferente, o que foge da “bolha”. Se sente em paz ao viajar e carrega consigo seu namô e sua família pra onde quer que vá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *